AS PRÁTICAS DO CAMINHO SUFI



As práticas do Caminho Sufi


O sufismo acredita que o Alcorão tem segredo, significado e simbolismo esotérico (Batin).
Em oposição ao método de interpretação literal islâmico (Tafsir), o Sufismo usa um método alegórico (Ta'wil)que procura o sentido oculto e os símbolos dos textos sagrados.
Os rituais no Sufismo
Servem para o fiel se manter atento e concentrado na vida terrena e na eterna .
1) Orações 5 vezes ao dia
2) Palito , purifica a boca.
3) Perfumes , contraria o cheiro pestilento das paixoes .
4) Roupa , envolve a nudez do homem sábio que se veste com o Saber.
5) Enfeites , simbolizam as joias do Saber e do Caminho .
6) A esmola (zakat), simboliza o Dar contra o ego do estômago que cobre a nossa verdadeira essência ,a pobreza espiritual que desperta o homem para o Ser em vez do ter.
7) O jejum é o dom de si mesmo,solidário com os outros ,prefigura o destino final da humanidade no seu caminho para a Realidade .
Existem actos obrigatórios ( jejeum ,oração diaria ) e outros de livre iniciativa,quando o fiel executa os obrigatórios o Atributo do Real está neles (actos) já manifesto, nos de livre iniciativa o Atributo pertence per si ao fiel que assim adquire por assim dizer uma diferente (a outro nivel) percepção da Realidade dos que apenas executam oa actos obrigatórios.
Várias técnicas foram desenvolvidas para alcançar a meta de uma união com a Realidade Suprema. 
Eles eram conhecidos como Dhikr (lembrança, a menção de Deus) e Sama (audição).
Nas Dhikr recita-se os muitos nomes de Deus e cantava-se hinos de louvor , existe a repetição rítmica comunal de uma frase,geralmente a partir do Alcorão, em que um dos nomes de Deus aparece.
Formas especiais de controle de respiração e dos movimentos do corpo devem contribuir para a concentração e controle sobre os sentidos e a imaginação e ajudá-los a alcançar um estado de êxtase em que realmente sentiam que tinha chegado a união com Deus.
Durante a Sama , poesia, música e dança foram usados como uma ajuda para chegar ao estado de êxtase. o que leva os participantes a uma experiência mística, onde parecem ouvir a música das esferas celestes ea voz do próprio Deus.
Sintoniza o coração para a comunhão com Deus e é pensada para remover todos os véus que ocultam Deus da visão interior do homem.
Medicamentos alucinogénios e café foram usados por alguns como uma ajuda para chegar ao estado de êxtase.

O rosário com 99 ou 33 contas foi utilizado desde o século 8 como um auxílio à contagem do número de repetições (que entrou nas Igreja Cristã através das Cruzadas). 
Esta meditação concentrada pode levar a um transe místico e iluminação, que transforma o homem .



A Iniciação Sufi , as estações místicas (maqamat, resultado do próprio trabalho do sufi ) e os estados (Ahwal, estados místicos concedidos pela graça de Deus) do Caminho .
Iniciação em uma ordem Sufi é visto como um ritual necessário que transmite a graça espiritual (barakah, poder espiritual) da guia (Murshid,Pir) ao discípulo (murídeos) que recebia do Sheikh uma capa especial (Khirqa) que simbolizava a pobreza e a devoção a Deus.
Na cerimônia de iniciação do Mestre que experimentou a união com Deus e aniquilação de si mesmo, além de dar ao discípulo a roupa especial também dá a ele uma palavra secreta ou oração para ajudá-lo em sua meditação.
Existe um elaborado ritual de iniciação para o discípulo, quando ele é admitido como membro pleno (geralmente depois de três anos).
1 ano ao serviço da comunidade , 1 ano ao serviço de Deus e o 3º ano ao serviço do ‘seu coração’ . Só depois destes 3 anos passados com sucesso , o aluno podia entrar no circulo do mestre.
O iniciado tem que aprender a pobreza espiritual (faqr), o que significa esvaziar a alma de si, a fim de dar espaço para Deus. A ilusão do ego individual deve ser apagada com humildade e amor ao próximo. Isto é alcançado por uma disciplina rígida auto que remove todos os obstáculos para a revelação da presença divina.


Estas são as estações Sufis :
1. distanciamento do mundo (zuhd).
Começa com o arrependimento ( tauba) , confiança plena em Deus e voto de pobreza ( não de ficar sem nada de material mas de pobreza espiritual , tudo o que temos é apenas emprestado, nada nos pertence ,se por alguma circunstancia nos for tirado não devemos nos queixar ) .
Tauba significa desprezar o mundo material como mera ilusão que nada serve para o caminho que o adepto se propos e pode ser ‘accionado’ por circunstancias externas e/ou internas .
O caminho do discípulo é de luta constante contra a sua alma inferior ,os instintos base, os ‘nafs’, não de os matar ( não se pode matar os instintos ) mas de os treinar/controlar como o cavalo selvagem é domado e nesse sentido os sufis usam o jejum e o sono como métodos .
A tomada de consciência pelo Caminhante de que o seu ego individual é um obstáculo e de perceber que a existencia é uma mera manifestação multifacetada ,dentro da infinidade de possibilidades que Allah dispõe no Seu potencial e que nada tem a ver com a verdadeira Existência .
Ao tomar essa consciência o homem reconhece que é um ‘estranho’ ,um ‘estrangeiro’ neste mundo,que a sua descida ao mundo não está de acordo com a sua natureza essencial, mas que foi causada por uma circunstancia alheia à sua essência .
2. paciência (sabr).
Esta estação é tawakkul, onde o caminhante que se abandonou a Deus com fé , espera em paz que Deus ‘entre’ na sua vida .
3. gratidão (shukr), para o que Deus dá.
Embora sabr seja uma estção importante quem chega a shukr é mais valorizado pois se considera que alcançou a Graça Divina.
Existem 3 niveis de shukr , o primeiro de quem recebe uma graça , o segundo de quem nem sequer a recebe , o terceiro de quem apenas fica grato pela intenção .
4. amor (hubb).
Nesta estação há autores que colocam o Amor ,outros o Conhecimento , de qualquer das formas é uma estação que coduz ao aniquilamento total do eu (fana) e uma progressão no sentido do baqa ( união –permanência em Deus ) final.
5. prazer (rida) com o que Deus deseja.
Aqui Deus actua em nós , é feita a Sua Vontade que é a nossa , agimos em comunhão perfeita com Ele.
Os Estados ou Graças
Associadas a estas estações existem estados de espírito ou emoções específicas (Ahwal), tais como o medo e a esperança, alegria e tristeza, saudade e intimidade, concedidas ao peregrino pela graça de Deus por um tempo com o objetivo de conduzi-lo para Ma'rifah (conhecimento, a gnose), mahabbah (Love) e para o objetivo final que é a aniquilação da personalidade ( fana ) e da unidade com Deus ( baqa) .
Dize-se que fana tem 3 fases , na primeira o homem é aniquilado e toma os atributos de Deus na segunda a alma é envolvida pela Luz primordial de Deus na terceira o homem é imerso na Existência de Deus

Existem sufis que procuram alcançar baqa ( diz-se que baqa está escondida no centro de fana), outros limitam-se a permanecer no estado beatifico e contemplativo de fana. 

Quem atinge baqa ultrapassa a ‘embriaguez ( sukr) da união com Deus para regressar ao mundo renascido e transformado pois agora quem actua é Deus nele e não a sua vontade antiga .

De outra perpectiva filosófica o caminho Sufi pode ter três maneiras de Caminhar:
Makhafah, o caminho do temor de Deus, levando à purificação.
Mahabbah, o caminho do amor levando ao sacrifício.
Ma'rifah, a forma de conhecimento intuitivo levando a iluminação.

Fonte:http://acaminhodacasa.blogspot.com.br/2011/01/as-praticas-do-caminho-sufi.html