12 FILMES NETFLIX PARA QUEM NÃO TEM MEDO DE CRESCER EMOCIONALMENTE - LISTA 1 E 2

Resultado de imagem para a vida secreta das abelhas filme completo

12 filmes Netflix para quem não tem medo de crescer emocionalmente

Resultado de imagem para a vida secreta das abelhas filme completo

Não há volta para algumas informações e vivências que adquirimos. O sentir e a empatia proporcionadas por esses filmes certamente influenciarão quem os assiste.
Uma lista para quem não tem medo de sentir…e evoluir.
Bons filmes!
Josie Conti

1- A vida secreta das abelhas

Carolina do Sul, 1964. Lily Owens (Dakota Fanning) é uma garota de 14 anos atormentada pelas poucas lembranças que tem da mãe falecida em um trágico acidente causado por ela. Decidida a fugir da solidão e do relacionamento complicado com o pai, T. Ray (Paul Bettany), Lily foge de casa com sua empregada Rosaleen (Jennifer Hudson) e segue a única pista que pode levar ao passado de sua mãe numa pequena cidade do interior. Lá ela conhece August (Queen Latifah), a mais velha das irmãs Boatwright, dona de um tradicional apiário da cidade e que também conhece alguns segredos do passado de sua mãe.


10 lições que eu aprendi com o filme “A vida secreta das abelhas

Vida Secreta das Abelhas é um filme que deve ser visto. Deve ser visto porque é um filme sobre mulheres fortes.
É um filme sobre mulheres sensíveis.
É um filme sobre mulheres que desafiaram a ordem vigente, se apoiaram umas nas outras e escreveram seus próprios caminhos.
Resumindo: é um filme extremamente feminino e inspirador. Nele, é contada a história de uma adolescente, Lily, que se sente culpada pela morte da mãe. Lily mora com o seu pai e com Rosaleen, uma empregada negra, no interior dos Estados Unidos, na década de 60, em um contexto extremamente racista. Lily não tem o carinho do pai, que é frio e lhe maltrata.
Quem lhe cuida e dá amor é Rosaleen.
Um dia, Rosaleen é agredida por homens racistas, e Lily, cansada de ser maltratada pelo pai, foge de casa com ela. As duas acabam parando na propriedade de August, uma mulher negra que tem duas irmãs: May e June. Elas possuem um bom negócio, onde produzem mel, e são donas de uma boa propriedade. Aos poucos, essas mulheres vão conquistando o seu lugar ao sol em uma sociedade onde, até então, o negro só possuía direitos no papel. Eu não vou contar todo o enredo do filme porque ele realmente deve ser visto. Mas algumas frases e situações muito me ensinaram e aqui em compartilho com vocês:

Lição 1 – Sobre querer e perder

“Ela era tudo que eu queria e eu a tirei de mim”. Nesta frase, Lily se refere à perda da mãe. Uma perda da qual não teve culpa, visto que quando tudo ocorreu ela era apenas uma criança. Mas trazendo estas palavras para o nosso contexto, essa frase representa um comportamento emocional recorrente: às vezes, nos relacionamentos. Gostamos tanto de alguém que nos auto sabotamos. Adquirimos um comportamento que nos faz atrair justamente algo que queremos evitar: o fim. Queremos estar com aquela pessoa, mas pedir desculpas ou tentar uma aproximação é difícil demais. Acabamos achando mais fácil abrir mão daquilo que se ama do que superar as nossas próprias limitações… Como me disse uma certa amiga uma vez: “É mais fácil expor a raiva do que expor o amor”.

Lição 2 – Lutar por justiça pode nos trazer dor, mas ainda sim é algo que deve ser feito

Rosaleen, a empregada, é agredida verbalmente por homens racistas. Ela, por sua vez, não se deixa intimidar. Eles ordenam que ela os peça desculpa ou seria agredida fisicamente. Ela não pede e por isso apanha. Posteriormente, Lily disse a Rosaleen que ela deveria ter pedido desculpas àqueles homens, pois ela correu o risco de ser assassinada por eles. Rosaleen responde: “Pedir desculpas àqueles homens teria sido apenas outro modo de morrer. Só que eu teria que viver com isso.”. O mundo está cheio de injustiças e a gente infelizmente aprendeu assistí-las e ficar caladas. Rosaleen nos mostra que se a gente simplesmente abaixa a cabeça, uma dor maior adentra o nosso ser. Se queremos justiça, devemos lutar por ela.

Lição 3 – A Verdade não é tudo

“A verdade é só metade do caminho. O que importa é o que você vai fazer com ela”. Quantas vezes a gente descobre algo sobre uma situação ou sobre alguém e se decepciona, entristece ou enraivece? Encarar a verdade, como diz um personagem do filme, é só metade do caminho. Descobrir a verdade não liberta ninguém de um relacionamento fajuto, por exemplo. O que faz a diferença é o nosso comportamento após isso.

Lição 4 – Abrir mão das nossas vontades pode valer a pena

“Algumas coisas não são tão importantes, como a cor de uma casa. Mas deixar alguém feliz, isso é importante.” – August diz essa frase a Lily para justificar o porquê de ter pintado as paredes da sua casa de uma cor duvidosa. A escolha se deveu ao fato de que a cor trouxe bons sentimentos a sua irmã May, que era uma moça muito sensível, tocada por uma grande perda. August decidiu pintar sua casa de uma cor que não gostava porque ela considerava que a felicidade da sua irmã May era muito mais importante do que a simples cor de uma parede. E na prática, quantas vezes nós abrimos mão de algo não tão importante só para fazer alguém feliz? Com certeza é algo que deveríamos praticar mais!

Lição 5 – Às vezes a liberdade é mais importante ou necessária do que estar em um relacionamento

“-Você já se apaixonou? – pergunta Lily.
-Claro que sim. – responde August.
-Não o bastante para se casar?
-Eu o amava bastante. Só que amava mais a minha liberdade. – finaliza August.”
Algumas vezes, nós gostamos muito de alguém mas ainda não estamos prontos ou talvez a nossa liberdade de ser solteira combine mais com as escolhas que fizemos. August sabia disso. Ela era uma mulher, uma mulher negra, que escolheu estar à frente dos seus negócios. Ela representou o que as mulheres, sobretudo as mulheres negras, poderiam conquistar. Ela foi portanto uma inspiração de liberdade, possibilidades e conquista. A sua liberdade permitiu que ela chegasse até onde chegou e talvez por isso foi tão importante ela abrir mão do amor.
A vida secreta das abelhas

Lição 6 – Ser sensível é melhor do que não sentir nada

“-Srta. May, sei que às vezes você fica muito triste. Meu pai nunca sente nada. Nunca sentiu nada. Eu prefiro ser como você. – diz Lily.
-Às vezes, não sentir nada é a única maneira de sobreviver. – responde May”
May não conhecia o pai de Lily mas ela sabia que algumas pessoas se tornam frias porque aquela era a forma que elas encontravam para sobreviver. Sei que parece horrível ser alguém sem sentimentos, mas antes de julgarmos, devemos saber que cada um passa ou passou por batalhas que não conhecemos. E talvez aquela pessoa tão gelada seja apenas alguém que não sabe externar ou lidar com o que sente.

Lição 7 – Há muito amor nesse mundo

Há duas frases ditas por Lily que chamaram muito a atenção e tenho certeza de que muitas de nós já se encontraram em situação semelhante:
“Não há nada que eu queira mais que alguém que me ame” e “Eu não mereço ser amada”.
Lily se sentia abandonada pelos pais e queria muito ser amada, mas ao mesmo tempo ela acreditava não merecer receber amor. Ela carregava em suas costas uma culpa que não era sua. Quantas vezes nos achamos indignas de ser amadas? Seja por nossos defeitos, pelo que passamos na infância ou por algum trauma. August responde: “Há muito amor nesse mundo”. O que nós precisamos é nos abrir para ele, não deixar que nossas perdas nos tornem pessoas fechadas. Às vezes, o amor vem de uma forma que não esperamos. A história de Lily é prova disso. Uma menina branca que encontrou todo amor do mundo ao lado de quatro mulheres negras.
318

Lição 8 – Nem tudo que as pessoas nos dizem é realmente o que elas querem dizer. Às vezes, elas simplesmente não têm força ou coragem de dizer o que realmente sentem

“Ainda digo a mim mesma que, quando meu pai partiu naquele dia ele não quis dizer: ‘Que seja. Ele quis dizer: ‘Lily, você ficará melhor aqui, com todas essas mães’.”
O pai de Lily não fez questão de ficar com ela. Mas Lily captou que no fundo ele sabia que ela estaria melhor com as suas “mães”. Só que ele era amargurado demais para saber dizer isso à Lily… O que ouvimos nem sempre corresponde à verdade. É preciso nos atentarmos também às entrelinhas e relevar certas coisas…

Lição 9 – Dizer “Adeus” pode ser dolorido mas pode também ser a melhor opção

O pai de Lily saiu da sua vida, foi embora sem dar ao menos um beijo de despedida. Quantas vezes a gente sofre porque alguém saiu das nossas vidas, não é mesmo? Seja aquela pessoa um amigo, um amor ou um parente. Mas às vezes, aquela partida foi a melhor opção para o desfecho da situação. Muitas vezes, os caminhos vão para direção opostas e é melhor assim. Pode não fazer sentido no momento em que ocorre mas certamente fará sentido em um outro momento.

Lição 10 – O laço sanguíneo não é tudo

A Vida Secreta das Abelhas mostra que o sangue nem sempre representa afeto, segurança ou afinidade. Muitas vezes, o sentido das palavras “Amor” e “Família” a gente encontra onde a gente menos espera. Se você tem relações familiares difíceis ou até mesmo não tem uma família, não se abata. Você tem toda possibilidade de encontrar amor em outros lugares. Pois como disse August: há muito amor nesse mundo!
Fonte:http://www.contioutra.com/10-licoes-que-eu-aprendi-com-o-filme-a-vida-secreta-das-abelhas/

2- Little Boy

O’Hare, Califórnia. O pequeno Pepper (Jakob Salvati) tem uma forte ligação com o pai, James Busbee (Michael Rapaport), com quem vive aventuras fantasiosas. Quando seu irmão London (David Henrie) é convocado para lutar na Segunda Guerra Mundial, James se oferece para ir no lugar dele. A situação deixa Pepper desolado, sendo que ele ainda precisa lidar com as constantes provocações dos demais garotos por ser pequeno demais – daí o apelido jocoso Little Boy. Disposto a trazer o pai de volta da guerra, Pepper resolve seguir uma lista de boas ações entregue pelo padre Oliver (Tom Wilkinson).

3- Histórias Cruzadas

Jackson, pequena cidade no estado do Mississipi, anos 60. Skeeter (Emma Stone) é uma garota da sociedade que retorna determinada a se tornar escritora. Ela começa a entrevistar as mulheres negras da cidade, que deixaram suas vidas para trabalhar na criação dos filhos da elite branca, da qual a própria Skeeter faz parte. Aibileen Clark (Viola Davis), a emprega da melhor amiga de Skeeter, é a primeira a conceder uma entrevista, o que desagrada a sociedade como um todo. Apesar das críticas, Skeeter e Aibileen continuam trabalhando juntas e, aos poucos, conseguem novas adesões.

4- A lista de Schindler

A inusitada história de Oskar Schindler (Liam Neeson), um sujeito oportunista, sedutor, “armador”, simpático, comerciante no mercado negro, mas, acima de tudo, um homem que se relacionava muito bem com o regime nazista, tanto que era membro do próprio Partido Nazista (o que não o impediu de ser preso algumas vezes, mas sempre o libertavam rapidamente, em razão dos seus contatos). No entanto, apesar dos seus defeitos, ele amava o ser humano e assim fez o impossível, a ponto de perder a sua fortuna mas conseguir salvar mais de mil judeus dos campos de concentração.

5- Na natureza Selvagem

Início da década de 90. Christopher McCandless (Emile Hirsch) é um jovem recém-formado, que decide viajar sem rumo pelos Estados Unidos em busca da liberdade. Durante sua jornada pela Dakota do Sul, Arizona e Califórnia ele conhece pessoas que mudam sua vida, assim como sua presença também modifica as delas. Até que, após dois anos na estrada, Christopher decide fazer a maior das viagens e partir rumo ao Alasca.
 

6- O Farol das Orcas

Baseado em fatos reais o roteiro de “Farol das Orcas” fala de um biólogo marinho, Beto Bubas, que vive na Patagônia argentina, mais propriamente na península de Valdes, a estudar baleias orcas. Em um determinado dia Beto encontra na porta de sua casa uma mãe espanhola com seu filho pequeno, Tristan, um menino autista, que ao ver um documentário de Beto na Tv esboçou reações nunca antes esboçadas. A mãe do garoto viajou o mundo para encontrar o biólogo a fim de ajudar o filho a se comunicar através do contato com as orcas. Toda a história é verídica. Beto existe e realmente encontrou uma mãe corajosa e seu filho autista, Agustín. A história tocou tão profundamente Roberto (Beto) que o inspirou a escrever o livro “Agustín Corazon Abierto”. Filme lindo, lindo, lindo! Disponível na Netflix.

7- Até o último homem

Durante a Segunda Guerra Mundial, o médico do exército Desmond T. Doss (Abdrew Garfield) se recusa a pegar em uma arma e matar pessoas, porém, durante a Batalha de Okinawa ele trabalha na ala médica e salva mais de 75 homens, sendo condecorado. O que faz de Doss o primeiro Opositor Consciente da história norte-americana a receber a Medalha de Honra do Congresso.

8- A voz do coração

3
Pierre Morhange (Jacques Perrin) é um famoso maestro que retorna à sua cidade-natal ao saber do falecimento de sua mãe. Lá ele encontra um diário mantido por seu antigo professor de música, ClémenteMathieu (Gérard Jugnot), através do qual passa a relembrar sua própria infância. Mais exatamente a década de 40, quando passou a participar de um coro organizado pelo professor, que terminou por revelar seus dotes musicais.

9- Philomena

4
Irlanda, 1952. Philomena Lee (Judi Dench) é uma jovem que tem um filho recém-nascido quando é mandada para um convento. Sem poder levar a criança, ela o dá para adoção. A criança é adotada por um casal americano e some no mundo. Após sair do convento, Philomena começa uma busca pelo seu filho, junto com a ajuda de Martin Sixsmith (Steve Coogan), um jornalista de temperamento forte. Ao viajar para os Estados Unidos, eles descobrem informações incríveis sobre a vida do filho de Philomena e criam um intenso laço de afetividade entre os dois.

10- A vida é bela

Durante a Segunda Guerra Mundial na Itália, o judeu Guido (Roberto Benigni) e seu filho Giosué são levados para um campo de concentração nazista. Afastado da mulher, ele tem que usar sua imaginação para fazer o menino acreditar que estão participando de uma grande brincadeira, com o intuito de protegê-lo do terror e da violência que os cercam.
5

11- O Aluno

“Um dos primeiros fatores a nos emocionar no filme é sabê-lo inspirado em fatos reais. O desejo de Maruge pela educação é algo que se sobrepõe a qualquer obstáculo que possa se apresentar e quem assite sua história fica tocado por sua perseverança. Além dos obstáculos políticos, vemos um vilarejo que questiona culturalmente sua presença na escola. A história nos deixa apreensivos a cada instante, mas nos inspira pela força e pela vida que apresenta. Marube brilha assim como brilham os olhos que veem o filme.” Josie Conti
The-First-Grader-2-HR

12- Lion: uma jornada para casa

Garoto de cinco anos se perde do irmão mais velho em uma estação de trem em Calcutá, na Índia, e passa a viver nas ruas do país até ser adotado por uma família australiana. Anos mais tarde, ele passa a ser atormentado por lembranças do passado e decide ir em busca de sua família biológica. A fase adulta do personagem é interpretada por Dev Patel, de Quem Quer Ser Um Milionário? (2008).
Nota: o catálogo Netflix sofre mudanças mensais e alguns filmes podem ser retirados sem aviso prévio.
Seleção pessoal da lista: Josie Conti, sinopses com informações de Adoro CinemaWikipedia CONTI outra
Fonte:http://www.contioutra.com/filmes-netflix-para-quem-nao-tem-medo-de-crescer-emocionalmente/

12 filmes Netflix para quem não tem medo de crescer emocionalmente (lista 2)

Depois do sucesso estrondoso da primeira lista  que atingiu as primeiras 100 mil partilhas em menos de 3 dias, penso que o mínimo que posso fazer é dar sequência a esse trabalho e fazer uma segunda lista de indicações mantendo o mesmo parâmetro: meu gosto pessoal.
Tomara que eu tenha conseguido manter o nível de indicações da primeira lista.
Afinal, como dito anteriormente,
“Não há volta para algumas informações e vivências que adquirimos. O sentir e a empatia proporcionadas por esses filmes certamente influenciarão quem os assiste.
(mais) Uma lista para quem não tem medo de sentir…e evoluir.”
Josie Conti

1- O Fabuloso Destino de Amélie Poulain

Após deixar a vida de subúrbio que levava com a família, a inocente Amélie (Audrey Tautou) muda-se para o bairro parisiense de Montmartre, onde começa a trabalhar como garçonete. Certo dia encontra uma caixa escondida no banheiro de sua casa e, pensando que pertencesse ao antigo morador, decide procurá-lo ­ e é assim que encontra Dominique (Maurice Bénichou). Ao ver que ele chora de alegria ao reaver o seu objeto, a moça fica impressionada e adquire uma nova visão do mundo. Então, a partir de pequenos gestos, ela passa a ajudar as pessoas que a rodeiam, vendo nisto um novo sentido para sua existência. Contudo, ainda sente falta de um grande amor.

2- The Fundamentals of caring

Um homem que sofreu grandes perdas em sua vida entra em um curso que muda suas perspectivas de vida.

3- O Leitor

Na Alemanha pós-2ª Guerra Mundial o adolescente Michael Berg (David Kross) se envolve, por acaso, com Hanna Schmitz (Kate Winslet), uma mulher que tem o dobro de sua idade. Apesar das diferenças de classe, os dois se apaixonam e vivem uma bonita história de amor. Até que um dia Hanna desaparece misteriosamente. Oito anos se passam e Berg, então um interessado estudante de Direito, se surpreende ao reencontrar seu passado de adolescente quando acompanhava um polêmico julgamento por crimes de guerra cometidos pelos nazistas.

4- Melhor é Impossível

Em Nova York um escritor grosseiro e sarcástico (Jack Nicholson) tem como alvos principais um artista gay (Greg Kinnear), seu vizinho, e uma garçonete (Helen Hunt) que o atende diariamente e se desdobra para cuidar do filho que tem asma crônica. O destino vai fazer com que eles fiquem muito mais próximos do que poderiam imaginar.

5- Tempo de Despertar

Bronx, 1969. Malcolm Sayer (Robin Williams) é um neurologista que conseguiu emprego em um hospital psiquiátrico. Lá ele encontra vários pacientes que aparentemente estão catatônicos, mas Sayer sente que eles estão só “adormecidos” e que se forem medicados da maneira certa poderão ser despertados. Assim pesquisa bem o assunto e chega à conclusão de que a L-DOPA, uma nova droga que já estava sendo usada para pacientes com o Mal de Parkinson, deve ser o medicamento ideal para este casos. No entanto, ao levar o assunto para o diretor, ele autoriza que apenas um paciente seja submetido ao tratamento. Imediatamente Sayer escolhe Leonard Lowe (Robert De Niro), que há décadas estava “adormecido”. Gradualmente Lowe se recupera e isto encoraja Sayer em administrar L-DOPA nos outros pacientes, sob sua supervisão. Logo os pacientes mostram sinais de melhora e também mostram-se ansiosos em recuperar o tempo perdido. Mas, infelizmente, Lowe começa a apresentar estranhos e perigosos efeitos colaterais.

6- Sete anos no Tibet

Heinrich Harrer (Brad Pitt), o mais famoso alpinista austríaco, tentou algo quase impossível: escalar o Nanga Parbat, o 9º pico mais alto do mundo. Egocêntrico e, visando somente a glória pessoal, Heinrich viajou para o outro lado do mundo deixando sua mulher grávida e um casamento em crise. Ele não conseguiu o feito, mas quando a Inglaterra declarou guerra à Alemanha ele foi considerado inimigo, por estar em domínio inglês. Feito prisioneiro de guerra, ele fugiu após várias tentativas junto com Peter Aufschnaiter (David Thewlis), outro alpinista, se tornando os únicos estrangeiros na sagrada cidade de Lhasa, Tibet. Lá a vida de Heinrich mudaria radicalmente, pois no tempo em que passou no Tibet se tornou um pessoa generosa além de se tornar confidente do Dalai Lama.

7- Direito de Amar

George (Colin Firth) é um professor de inglês, que repentinamente perde seu companheiro de 16 anos. Sentindo-se perdido e sem conseguir levar adiante sua vida, ele resolve se matar. Para tanto passa a planejar cada passo do suicídio, mas neste processo alguns pequenos momentos lhe mostram que a vida ainda pode valer a pena.

8- Um contratempo (Contratiempo)

Tudo está indo muito bem para Adrian Doria (Mario Casas). Seu negócio é um sucesso e lhe trouxe riqueza, sua bela esposa teve a criança perfeita, e sua amante está bem com o caso dos dois escondido. Tudo está ótimo até que Doria desperta num quarto de hotel, depois de ser atingido na cabeça, e encontra sua amante morta no banheiro, coberta com um monte de notas em euros. Pior, o quarto é trancado por dentro e não tem nenhuma maneira de entrar ou sair. Com tudo o que construiu desmoronando aos seus pés, Doria recorre a melhor advogada de defesa da Espanha, Virginia Goodman (Ana Wagener), e eles tentam descobrir o que realmente aconteceu na noite anterior.

9- Moonlight: sob a luz do luar

Três momentos da vida de Chiron, um jovem negro morador de uma comunidade pobre de Miami. Do bullying na infância, passando pela crise de identidade da adolescência e a tentação do universo do crime e das drogas, este é um poético estudo de personagem.

10- A Boa Mentira (The Good Lie)

Três homens sudaneses, Mamere (Arnold Oceng), Jeremiah (Ger Duany) e Paul (musician Emmanuel Jal), têm a oportunidade de sair do país e conseguir uma vida melhor nos Estados Unidos. Eles são acolhidos por uma assistente social, Carrie Davis (Reese Witherspoon), que pouco conhece sobre o duro passado de cada um. Ela é uma mulher solteira, bem resolvida e muito prática, o que parece estranhíssimo para eles. Aos poucos, tornam-se amigos e descobrem uma nova visão de mundo.

11- O lenço amarelo (The Yellow Handkerchief)

Numa cidade em Louisiana, Martine (Kristen Stewart) viaja com Gordy (Eddie Redmayne), jovem que acabara de conhecer. Pelo caminho eles conhecem Brett (William Hurt), que recém saiu da prisão e está indo atrás de sua esposa. Os três embarcam numa viagem repleta de surpresas e descobertas sobre seus sentimentos.

12- Paradise Road

Quando os japoneses invadiram Cingapura, em 1942, várias mulheres e crianças das mais diversas classes sociais foram levadas a um campo de concentração japonês. Entre elas estava Adrienne Pargiter (Glenn Close), formada pela Academia Real de Música, que decide organizar no local um coral, apesar da resistência do exército japonês.
Nota: o catálogo Netflix sofre mudanças mensais e alguns filmes podem ser retirados sem aviso prévio.
Seleção de filmes Josie Conti, sinopses via Adoro Cinema.
Fonte:http://www.contioutra.com/12-filmes-netflix-para-quem-nao-tem-medo-de-crescer-emocionalmente-lista-2/

Postagens mais visitadas deste blog

APRENDA COMO FAZER CONTATO COM SEU ANJO E GUIAS ESPIRITUAIS - TEXTOS DE VÁRIOS AUTORES

PARA ONDE VAMOS QUANDO MORREMOS,SEGUNDO A DOUTRINA ESPÍRITA ?

O GATO NA MITOLOGIA SAGRADA EGÍPCIA