ECTOPLASMIA OU MATERIALIZAÇÃO - A EXTERIORIZAÇÃO DA SENSITIVIDADE MEDIÚNICA



ECTOPLASMIA

     É a produção de ectoplasma e dos efeitos psicofísicos decorrentes de seu uso. Nome pelo qual Richet designou as materializações fantasmáticas. Meyers empregou o termo ectoplasia, mas o termo ectoplasmia já está incorporado ao vocabulário espírita. Segundo um dos maiores estudiosos dos fenômenos psíquicos no Brasil, Dr. Hernani Guimarães Andrade, entre os termos materialização ectoplasmia, ele prefere o segundo, pois significa forma modelada exteriormente ao organismo do agente plasmador. Em particular, a substância dócil à modelagem é o ectoplasma, quando se trata de um fenômeno paranormal. O fenômeno de ectoplasmia pode dividir-se em três tipos: a - A psicoplastia, quando o ectoplasma assume formas diversas devido à ação psicocinética exclusiva do médium. b - A duplicação ectoplasmática, em que o perispírito do médium serve de organizador do ectoplasma, produzindo uma réplica do médium. c - A produção de agênere ectoplasmático, na qual o médium funciona apenas como doador de ectoplasma. Sua modelagem opera-se à custa do perispírito de um segundo agente. É possível ainda que o Espírito de uma pessoa encarnada se sirva do ectoplasma de um doador e se manifeste em forma de agênere ectoplasmático. (L. Palhano Jr - Dicionário de Filosofia Espírita).

Descrições Preliminares: Termos usados e tipos de Materialização:


Materialização/Ectoplasmia:
 O termo mais correto para o fenômeno seria ectoplasmia, que vem do grego ectós, ”fora” plasma ,”coisa formada”. Ectoplasmia designa o fenômeno, e ectoplasma a substância usada. O vocábulo “materialização” daria a idéia de transformação de substância imaterial em substância material, e isso não ocorre de fato. Na ectoplasmia, não há materialização nem desmaterialização; o termo é usado simplesmente p/ designar de forma simples o fenômeno. O que ocorre na verdade é uma organização molecular, da substância material sutil ectoplásmica, de forma a condensá-la e torná-la tangível ou não; então o ser ou objeto do plano espiritual reveste-se desse material que se desprende do médium, criando uma morfologia própria, ou seja, tomando forma. Quando essa forma é criada pela mente do médium, chama-se “teleplastia”. O ectoplasma pode sair de qualquer parte do corpo do médium, ao qual está vinculado estreitamente, e pode causar variados fenômenos, como a telecinésia, ( mover objetos ou pessoas) e a transfiguração ( modelagem que altera a forma do próprio corpo do médium), comuns em sessões de ectoplasmia.

Psicoplastia/Teleplastia:
 Como já dito, o ectoplasma assume formas diversas, animadas ou inanimadas, de acordo com a vontade do médium, obedecendo a seus comandos mentais, como extensões do próprio corpo do médium.

Ectocoloplasmia:
O mesmo fenômeno da ectoplasmia, só que o revestimento ectoplásmico dá-se apenas em partes pequenas do corpo, como membros superiores e inferiores, ou apenas dedos.

Apport e Endopport:
   Significam respectivamente “trazer” e “trazer para dentro”. Trata-se do transporte de objetos inanimados de um local para o outro, com a momentânea intangibilidade do objeto e posterior tangibilidade, o chamado “teleporte”, para locais onde sequer houvesse meios físicos da passagem do objeto. Nas sessões de ectoplasmia geralmente é comum o uso do apport, para o surgimento de pedras, flores, etc. O Endopport é o transporte desses objetos para dentro do corpo humano, geralmente isso acontece em casos de cura mediúnica, ou casos de flagelação, sendo assim usado para o bem ou para o mal.

Duplicação ectoplasmática/ Bicorporeidade:
 Quando o perispírito do médium serve de organizador morfológico, criando uma réplica do médium, tangível, dando a impressão de ali estar sua presença real e simultânea em dois lugares. Como se trata de uma emancipação da alma, pode ocorrer a longas distâncias, porém o corpo físico real estará em estado de transe. Nesse caso, o próprio espírito encarnado sai do corpo e provoca em si mesmo a ectoplasmia, podendo manter inclusive conversações, retornando mais tarde ao corpo.

Agênere Ectoplasmático:
  Nesse caso, o médium ou desencarnado realiza o mesmo fenômeno de duplicação, mas com o auxílio de um doador de ectoplasma, que pode ser um outro médium ou alguma planta ou animal, servindo-se de agentes da natureza. O termo significa “o que não foi gerado”, por tratar-se de uma aparição tangível, mas ilusória. O nome foi dado por Allan Kardec no Livro dos Médiuns.Os agêneres possuem aparência pálida, frágil, por usar recursos mais primários de doação ectoplásmica. Ao contrário de uma aparição comum, podem ser vistos por todos, inclusive serem tangíveis.

Duplo Etérico:
 É a sede dos centros de captação de energia, o elo que liga o espírito ao perispírito e a seu corpo físico. Sua função é filtrar, captar e canalizar todas as energias que devem alimentar o corpo físico, ou serem traduzidas por este. Isto é feito através dos chacras. Morrendo o corpo físico, morre o duplo etéreo. Trata-se de uma zona vibratória de energia entre o perispírito e o corpo físico, de importante papel na ectoplasmia.

Os tipos de Ectoplasmia:
    
     Toda a materialização apresenta as seguintes características:
Pode ser opaca ou luminosa, total ou parcial, visível ou invisível, tangível ou intangível. Na maior parte é opaca dada à própria natureza do ectoplasma, e feitas em total escuridão, pois o ectoplasma é muito sensível à luz. As luminosas acontecem quando a constituição celular do médium apresenta alto teor de fósforo, elemento essencial no protoplasma celular. Normalmente, médiuns de ectoplasmia luminosa costumam alimentar-se de peixe justamente para esse propósito, pois o alimento é rico em fósforo.

A Ectoplasmia pode-se dividir principalmente em dois tipos, cada qual com suas características. Pode ser Mediúnica ou Anímica.


Mediúnica:
   Pode apresentar-se como uma associação de: fluidos oriundos de planos espirituais superiores; fluidos do médium; fluidos dos assistentes; fluidos dos recursos energéticos da própria natureza. Ela é subdividida em:

             I-Animada (ou viva; revestimento ectoplasmático de entidades espirituais); características apresentadas:
1.   Completa ou Parcial (ectocoloplasmia)
2.   Autônoma ou Conjugada (usando o perispírito do médium)
3.   Singular ou Múltipla (vários espíritos simultaneamente)
4.   Tangível ou Intangível
5.   Luminosa ou Não Luminosa

              II-Inanimada (Objetos; transporte de objetos ou condensação de aparelhos do plano espiritual.).
1.   Completa ou Parcial
2.   Tangível e Intangível (De manipulação própria dos espíritos)
3.   Luminosa ou Não Luminosa

Anímica:
      Ou Extramediúnica, é o próprio espírito encarnado que se corporifica. O espírito pode agir por si mesmo, porém isso não é razão para que outros não atuem por seu intermédio.Subdividida em:
            I-Automaterialização (o próprio médium que se desdobra)
1.   Completa (muito rara) ou Parcial (comumente a cabeça)
2.   Tangível ou Intangível
        
           II-Materialização Inanimada:
                  Muito rara. É o Apport de objetos, por ação mental do Médium.


SESSÃO DE ECTOPLASMIA



  Em reuniões sérias, de caráter moral e científico, todos os fenômenos são supervisionados por entidades elevadas, capazes de conduzir com segurança trabalhos tão importantes, difíceis e perigosos.
     Todo o perigo está na irresponsabilidade dos encarnados, quando não possuidores de elevada moral e certeza do que fazem.Nenhum espírito superior concorda com a fenomenologia apenas como entretenimento para curiosos, sem nenhum proveito doutrinário/científico educacional.
    O trabalho exige amplo preparo, muito intenso, não apenas do ambiente físico, mas obviamente do ambiente psíquico onde se dá a reunião. Vejamos algumas providências:
·       Harmonização do grupo
·       Isolamento do local das sessões num círculo de mais ou menos 20 metros
·       Ionização da atmosfera
·       Destruição das Larvas
·       Escuridão da sala devido à fotosensibilidade do ectoplasma
    A harmonização do grupo se inicia como em todo trabalho com uma prece, e prossegue às vezes com músicas ou poesias, e até mesmo brincadeiras sutis por parte dos espíritos, através de conversações, com o intuito de acalmar os mais nervosos ou ansiosos, de forma que relaxem e o ectoplasma possa fluir mais facilmente.
     O isolamento do local se faz por meio de um extenso cordão de obreiros esclarecidos, com o intuito de impedir o acesso de espíritos inferiores que podem não somente prejudicar o trabalho, como também afetar a pureza do material utilizado, como o ectoplasma, os fluídos, etc.
     A Ionização é um processo de eletrificação do ambiente, que tem como finalidade possibilitar a combinação de recursos para efeitos elétricos e magnéticos. Os focos de luz, lampejos e outros efeitos observados nas sessões são os ajustes desses recursos obtidos momentos antes dos trabalhos.
     A destruição das larvas por aparelhos espirituais é realizada para evitar que através do ectoplasma o organismo do médium sofra a invasão de elementos microbianos.
     A escuridão da sala tem a função de proteger a massa citoplásmica exteriorizada. A luz queima e desintegra essa massa. Em algumas sessões, ao inadvertidamente se acender até mesmo um lampião, foi visto o espírito materializado desfazer a materialização como se fosse um edifício caindo. A razão disso é que uma das substâncias empregadas no ectoplasma é o fósforo, que é extremamente sensível à luz. Muitos leigos podem ver na escuridão a oportunidade perfeita para fraudes, mas essa idéia logo é refutada ao se constatar os resultados, de prova irrefutável. Além disso, muitas vezes é permitida no máximo uma luz vermelha ou verde de mínima intensidade.
     Fenômenos de ectoplasmia na luz do dia são raríssimos, mas ocorrem. Geralmente o efeito passa muito rápido e os resultados tornam-se insatisfatórios. Além disso, a possibilidade de ectoplasmias luminosas não se dá na luz, além da perda de muitos outros efeitos e resultados.
      O ectoplasma utilizado na ectoplasmia não é puramente o exalado pelo médium; ele é misturado também ao fluido espiritual e ao fluido retirado da natureza, para desenvolver o ectoplasma elaborado.Os espíritos não produzem ectoplasma, apenas podem manipula-lo. Os médiuns ectoplastas perdem peso durante as sessões, chegando a perder de 600g até 1kg. Porém, logo é recuperado. Isso demonstra que o ectoplasma é diretamente ligado ao organismo do médium.
      Assim como os Espíritos se esforçam para assegurar o bom êxito das materializações, os encarnados também devem se preparar, tendo disciplina, abstinência de comidas pesadas ou bebidas alcoólicas, e possuírem controle mental extremo de forma a não emanarem pensamentos de baixa vibração, pois estes podem ser plasmados, causando transtornos e situações desagradáveis. Poucos possuem a fibra moral necessária, por isso o perigo das reuniões de ectoplasmia sem o devido senso de disciplina.O ectoplasma utilizado geralmente retorna ao médium, daí a necessidade de mantê-lo livre de más vibrações, pois atingirão o corpo físico do médium, então via de regra o ectoplasta principal fica isolado em uma cabine. O médium normalmente apresenta-se em estado de sono, estando assim relativamente protegido de danos psicofísicos.Quando a reunião é bem orientada e com propósitos nobres, os próprios espíritos ajudam a limpar o ambiente de qualquer ameaça ao médium, usando de aparelhos radioativos oriundos do plano espiritual, e desconhecidos ainda ao nosso mundo. Podem inclusive pôr fim à reunião se necessário.
     Os benfeitores preparam o médium física e psicologicamente, incentivando seu processo digestivo, limpando seu sistema nervoso e auxiliando seu desdobramento, através de auxílios magnéticos.

A ECTOPLASMIA PROPRIAMENTE DITA:

     Após todos esses cuidados, dá-se início ao processo. O médium principal, isolado em transe em sua cabine, tem seu perispírito isolado de seu duplo etérico. Então todo o ectoplasma forma-se no duplo etérico, sai deste e retorna para o médium, sendo filtrado pelos chacras esplênico e gástrico, sobe, se condensa, e sai pela boca, nariz e ouvido, voltando ao duplo etérico e revestindo o exterior do duplo etérico . O espírito que irá se materializar penetra neste revestimento, como se estivesse vestindo o duplo etérico e a massa ectoplásmica ao redor do mesmo. Assim, o duplo etérico se transfigura e assume a forma do espírito, que agora possui controle sobre a morfologia do ectoplasma.
     Isso mostra que todo o processo é intimamente ligado ao corpo físico do médium, por isso a necessidade do transe; qualquer ação ou situação exposta ao espírito materializado refletirá no médium, pois a parte tangível, a parte que tocamos, na verdade é pertencente ao médium, não ao espírito materializado; este apenas deu forma ao material e comanda seus movimentos. Isso irá repercutir em uma série de fenômenos.

Fenômenos
Datiloscopia:
  As impressões digitais do espírito materializado permanecem, e são prova de sua identificação. Uma vez que o espírito possui pleno controle sobre o material ectoplasmático, este assume todos os detalhes de seu corpo físico.Condensando-o, é possível o registro de suas impressões digitais.

Sensações corporais:
  Respiração, batimentos cardíacos, calor, frio...tudo isso se constata no espírito materializado. Como está revestido do duplo etérico do médium, e este é responsável pela irradiação de energia para o corpo através dos chacras, lembremos que a filtração do ectoplasma pelos chacras do médium ainda permanece, e que o duplo etérico do médium ainda está de certa forma ligado a ele, do contrário estaria morto fisicamente. O Duplo etérico agora está obedecendo a morfologia do espírito materializado, mas também a do médium, só que em menor grau, por isso seu estado de transe. Por isso todas as sensações físicas são compartilhadas entre o médium e o espírito, reciprocamente.

Materializações Luminosas:
  Um dos mais belos fenômenos da ectoplasmia. Os espíritos materializados emitem lampejos, luzes e letreiros luminosos, e toda sua roupa e semblante irradiam uma luz semelhante à luz do luar. Esse fenômeno é possível graças ao fósforo contido no organismo do médium e exteriorado através de seu ectoplasma. Também é conseguido através da radioatividade emitida por aparelhos do plano espiritual. Os letreiros são plasmados pela ação mental do espírito e utilização do ectoplasma do médium, e flutuam pela sala como letras de pura luz. Assim que o espírito deixa de pensar nela, elas se consomem no ar, devolvendo o ectoplasma.

Radioatividade:
 Como dito antes, muitos aparelhos ainda desconhecidos por nosso mundo são utilizados nessas sessões. Um deles emite sinais capazes de saturar a sala com radiação. Apesar que a radiação pudesse constituir ameaça aos encarnados, os espíritos possuem uma fonte de equilíbrio para os agentes radioativos que não se sabe se provém de algum aparelho ou elemento. Na verdade, isso permanecerá oculto até os encarnados possuírem bom senso para o uso de tal elemento; imagine os estragos que potências nucleares fariam se tivessem controle sobre os efeitos da radiação ou sua área de alcance. Nas sessões, os efeitos produzidos são inócuos para os seres vivos e muito interessantes; todas as roupas dos encarnados passam a emitir a mesma luz fosforecente do luar e os objetos são revestidos de carga cinética, produzindo faíscas de luz quando tocados.

Produções em Parafina:
   Uma prova da manipulação ectoplasmática. O experimento produz luvas e pés de cera, ou impressões do rosto e trabalhos artesanais, como flores de parafina. A parafina fervendo é posta em um tambor que é trancado em uma jaula. O Espírito materializado controlando a condensação do ectoplasma torna-o etéreo, atravessando as grades, e volta a condensa-lo para em seguida enfiar as mãos na parafina fervendo. Quando a parafina cobre até o pulso, o espírito espera que ela esfrie, para então voltar a tornar o ectoplasma etéreo e sair das luvas de parafina sem destruí-las. O resultado é impressionante, e o mesmo se dá com as flores, produzindo arranjos muito belos e curiosos, pois são provas incontestáveis da ectoplasmia.


Curas Espirituais:
   Aqui está o mais importante fenômeno obtido através da ectoplasmia.
Espíritos conhecidos por nós como “médicos do espaço” nos trazem através da materialização aparelhos e recursos mais evoluídos, ou até mesmo a presença de entidades altamente evoluídas capazes de curar males e enfermidades nos desencarnados desde que seu processo de causa e efeito permita. Com total controle dos fluídos, chacras e a manipulação do duplo etérico os pacientes, os espíritos de cura conseguem limpar o organismo vivo dos males que o acometem.Infelizmente, se esse processo é raro isso se deve a nós encarnados, que raramente apresentamos as condições necessárias ao fenômeno, ou seu merecimento.

Fotos Esquisitas:
É possível tirar-se fotos do espírito materializado, desde que sem o uso de flash, pois a luz afetaria o resultado. Algumas fotos apresentam um curioso resultado: O espírito, trajando um esvoaçante manto ectoplasmático, e um pequeno e desproporcional rosto, como de uma boneca. Isso se dá, provavelmente, da seguinte forma: A entidade espiritual não obteve  todos os recursos necessários para ectoplasmia, ou conseguiu em pouca quantidade, e para a impressão do rosto, recorre através do ectoplasma e do duplo etérico do médium ou mesmo dos fluídos ectoplasmicos dos presentes na reunião para obter uma impressão mental que lembre seu rosto, plasmando-a com o ectoplasma cedido pelo médium, dando a impressão de uma fotografia no lugar do rosto.     

Infravermelho:
 Esse poderia ser considerado um “fenômeno moderno”. Com a recente utilização de câmeras infravermelhas de captção de calor, será possível gravar em vídeo a formação da ectoplasmia em todos seus detalhes. Como o espírito materializado reveste-se do duplo etérico do médium, e esse possui todas as sensações físicas do mesmo, ele se torna suscetível a este tipo de aparelho, o que poderá tornar o fenômeno definitivamente irrefutável, e poderá ser visto por outras pessoas sem atrapalharem os andamentos de uma sessão.
CONCLUSÃO

  A Ectoplasmia é um fenômeno presente em toa a história humana. Pode ser encontrada na Bíblia, tanto no Velho Testamento, nas passagens do fim da Babilônia e nas passagens êxodo capítulos 4- 2.3 e 16,15 , e Samuel encontrando o Rei Saul na gruta (Samuel 28-14-15) como no Novo Testamento, na célebre aparição de Jesus aos Apóstolos ( Lucas 24-39) e nas aparições dos discípulos presos ( Atos 5-23 ), assim como no encontro de Jesus com os profetas. Também está presente numa série de investigações científicas ao decorrer do tempo, numa era onde o homem necessitava da comprovação do mundo espiritual, e o mundo espiritual de lhe dar as provas. Hoje, esses fenômenos possuem outro papel. A Espiritualidade trabalha sempre com o homem encarnado, realizando suas intervenções quando necessário, assim como é desde o início dos tempos. A diferença é que hoje não há a necessidade de se provar coisa alguma aos incrédulos, ou curiosos. A Espiritualidade agora atua de forma mais prática, objetivando sempre a finalidade útil e objetiva de seus fenômenos. De que valeriam mil convertidos à realidade espiritual se induzidos por fenômenos? Sem a base moral, que finalidade dariam a esses fenômenos, até alcançarem bom senso para utiliza-los? A Espiritualidade se presta ao progresso do mundo. Os fenômenos de Ectoplasmia, assim como todos os fenômenos de origem espiritual não são raros; estão presentes no cotidiano dos que se prestam às suas elevadas diretrizes. Raros são os homens dispostos a aprenderem, a fazerem da união com a espiritualidade uma utilização proveitosa para toda evolução humana. Raros são os homens de índole moral capazes de preencherem tais requisitos. Se os fenômenos são raros, é pq não lhes damos os recursos necessários. Um dia, a humanidade não mais chamará esses eventos de fenômenos, mas sim de eventos cotidianos, como são as salas de aula ou as de cirurgia. Basta apenas que objetivamos o bem acima de tudo, principalmente acima de nós mesmos.


ECTOPLASMIA

O dr. Jorge Andréa apresenta um pequeno ensaio sobre ectoplasmia, falando sobre o significado da palavra e os pesquisadores que contribuíram na elucidação do processo.

Dr. Jorge Andréa: 

A ectoplasmia, conhecida de modo mais popular como fenômeno de materialização, pelos estudos e experiências criteriosas realizadas há um século aproximadamente, ainda vem despertando o mais expressivo interesse da área cientifica. Foi Charles Richet quem utilizou a denominação diante das pesquisas realizadas em sua época.

A parapsicologia, com os conhecimentos dos dias atuais, tem por obrigação fazer a abordagem da temática, no capitulo dos fenômenos psi-theta. Devido à existência de inúmeros fatos, a ectoplasmia não pode ser relegada ao desconhecimento ou mesmo à falta de interesse, como desejam algumas posições sectaristas.

A ciência avalia os fenômenos de ectoplasmia com desconfiança. Como todo fenômeno psi-theta, a ectoplasmia não pode ser controlada de acordo com as diretrizes e vontade do epsquisador. Essa fenomenologia, em que os agentes psi-theta (Espíritos) participam, é quase sempre fugaz, de difícil abordagem e controle, pela presença de inúmeros fatores que se desenvolvem em dimensão diversa daquela que a metodologia cientifica pode avaliar e controlar.

Laboraram nestes fatos inúmeros pesquisadores, dos quais lembramos: Albert Coste, em 1895; Alexandre Aksakof (1832-1903), em 1895; Paul Gibier (1851-1900), em 1998; William Crookes (1832-1919), em 1899; Gabriel Delanne (1857-1926), em 1909 e 1911, e muitos outros.

Os autores são categóricos em afirmar a inconteste existência dessa mecânica, na qual dois elementos entram, indiscutivelmente, no processo: o ectoplasma e o agente orientador para que a moldagem se observe. De um lado, a matéria ectoplásmica, fugaz e vaporosa e, do outro, o campo organizador da forma (campo espiritual), as espessas do qual o ectoplasma se distribui em adequada moldagem.



O VOCÁBULO ECTOPLASMIA PASSA A DEFINIR, com mais precisão do que o termo materialização, a formação de objetos e pessoas em ambiente apropriado, às expensas da substancia especifica doada pelos sensíveis ou médiuns (ectoplasma; do grego ektós, por fora; plasma, molde ou substância). Devemos fazer diferença ente o termo ectoplasma empregado em biologia – para designar a região mais eterna do protoplasma celular – e o significado parapsicológico do presente escrito.

O ectoplasma é substancia amorfa, vaporosa, com tendência a solidificação pela evolução do fenômeno, tomando forma por influencia de um campo organizador especifico. Facilmente fotografado, de cor branco-acinzentado, vai desde a névoa transparente à forma tangível, de aspecto semelhante aos tecidos vivos, oferecendo sensação de viscosidade e frieza.

O ectoplasma foi analisado por vários pesquisadores, dos quais destacamos as seguintes conclusões:

1 – Dr. V. Dombrowsky (Varsóvia); “O ectoplasma está constituído de matéria albuminóide, acompanhado de gordura e de células tipicamente orgânicas. Não forma encontrados amiláceos e açucares”.

2 – Dr. Francês (Munique); “Substancia constituída de inúmeras células epiteliais, leucócitos e glóbulos de gordura”.

3 – Dr. Albert Scherenk-Notzing, citado por Charles Richet; “O ectoplasma está cosntituido por restos de tecido epitelial e gorduras”.

4 – Dr. Hernani G. Andrade; “O ectoplasma é substancia formada com recursos da natureza, originando-se dos tecidos vegetais (ectofiloplasma) de origem animal (ectozooplasma) e de origem mineral (ectomineroplasmal)”.

Muitos autores que analisaram a substancia encontraram células anucleadas em sua constituição. O ectoplasma seria substancia originária no protoplasma das usinas celulares, onde o ATP (trisfosfato de adenosina) teria expressiva participação, ao lado de outros elementos. Dessa forma, não podemos deixar de considerar a importância do fósforo nas atividades bioquímicas orgânicas e, conseqüentemente, no desenvolvimento do processo ectoplásmico em suas especificas dosagens.



NO DIZER DO PROFESSOR ALDEMAR BRASIL: “Em sítese, o ATP – que equivale por cada ligação piro-fosfática desgarrada de sua molécula, a mais ou menos 7.500 kcal – é a unidade usada em biologia para expressar a transferência de energia oriunda do ciclo de Krebs, e de outras fontes. No ciclo de Krebs, também denominado de ciclo dos ácidos tricarboxílicos, a energia é libertada pela transferência de elétrons para a cadeia respiratória, provindos de substratos em que o hifrogenio é ativado, desgarrado e transportado com seu eletron até o oxigênio, também atiçado ao receber esses elétrons, formando-se, então, a água. Para tanto, no ciclo de Krebs, há processos de descarbolização, desidrogenação, etc., operados por enzimas especificas ativadas por coenzimas determinadas”.

Qual o mecanismo criativo do eclotoplasma na organização do agente doador (sensível ou médium)? Claro que seria uma condensação energética apropriada transformando-se em matéria. A informação de André Luiz em AMecanismos da Mediunidade é bastante lógica e sensata: “O ectoplasma resulta de um processo de desagregação molecular formado por forças desconhecidas, ao mesmo tempo em que o fenômeno fica sob controle de campos de forças organizadoras capares de reagrupar as moléculas segundo um modelo determinado”.

O fenômeno de ectoplasmia, é preciso que se diga, é fenômeno de plasmagem e não de criação de matéria. A plasmagem se dará às expensas da substancia (energia) fornecida pelo médium que, pouco a pouco, atingirá o processo de condensação, voltando à sua fonte por mecanismo inverso. Temos como certo, também, que o ectoplasma é substancia que, além de fornecida pela organização humana (médium), será plenamente enriquecida (completada) com outros elementos da natureza, provindos dos vegetais e de outras matérias orgânicas de origem animal, numa especifica arregimentação.

Os chamados processos de ectoplasmia investem complexa mecânica, de difícil avaliação pelos atuais métodos que a ciência pode oferecer. Para que o fenômeno se observe e seja bem equacionado, haverá necessidade de lembrarmos o conceito de Claude Bernard de que na usina celular opera-se a totalidade dos fenômenos vitais, muitos dos quais transcendem a avaliação pelos nossos sentidos. A maioria desses fenômenos bioquímicos, mormemente de esfera da ectoplasmia, estaria ligada aos compostos fosforados e suas correlações com as enzimas e hormônios.



NO NÚCLEO CELULAR EXISTIRIAM FONTES específicas de energia, ligadas ao ADN e ARN (ácido desoxirribonucléico e ribonucléico), a comandarem os processos metabólicos mais expressivos no soalho protoplasmático. O elemento participante ativo desse processo de formação de energias no corpo celular seria o ATP (trifosfato de adenosina), resultante do ciclo de Krebs. O ATP, sendo a fonte primordial de energia nos processos celulares, estaria comprometido na formação do ectoplasma. Esse processo de doação do ATP traduziria uma “qualidade especifica” do médium na manifestação da fenomenologia paranormal de efeitos físicos.

Haveria, neste caso, por intermédio das organizações celulares, uma maior irradiação dessas energias, que se tornariam mais expressivas nas reuniões destinadas a esse tipo de trabalho. Isto mostraria a influencia dos participantes da equipe (encarnados e desencarnados) concorrendo no maior fornecimento da substancia ectoplasmática por parte dos que apresentam essa possibilidade. Quando a quantidade de substancia irradiativa fosse bem expressiva, já fora da fonte de origem, poderiam mostrar-se sob forma gasosa visível (nuvem), por um processo de condensação, constituindo material especializado e com possibilidade de aproveitamento nos mecanismos em pauta.

No denominado passe energético, muito utilizado nas casa espíritas sob forma de fluidoterapia, acreditamos que esses elementos de irradiação, devidamente elaborados pelo psiquismo, carregam em seu bojo quase que especificamente energias originárias no ATP da usina celular. Ainda mais, este material de doação energética, passando à dimensão física por condensação, poderá ser aproveitado pelas Entidades Espirituais na vestidura de seus campos de forças nos trabalhos especializados da ectoplasmia.

Assim, essa substancia, o ATP, deverá fazer parte do ectoplasma e, à medida que o processo se desenvolve por condensação, vai oferecendo as naturais modificações químicas pela queima da molécula fosfórica que permitiria a ectoplasmia luminosa; por tudo, podemos avaliar a importância do fósforo, em suas múltiplas combinações, no mecanismo da ectoplasmia.



ESCLARECEMOS QUE O PROCESSO DA ECTOPLASMIA revelando o aparecimento de um ser humano (Espírito envolto no ectoplasma) não representa exclusivamente a vestidura com ATP. Haveria na massa ectoplásmica, em sua cosntituição, pelo alto teor de energias que carrega consigo, outros elementos orgânicos das próprias células ou mesmo substancias arrecadadas na natureza, em especificas reações químicas às expensas de equipes espirituais que participem do processo.

Chepelle descobriu que o mecanismo de emissão de luz dos pirilampos (vaga-lumes) estaria ligado a uma enzima, a luciferase, quando oxidada pela luciferina. Neste mecanismo, não haveria participação ativa do ATP celular? Não existiria, neste processo, uma correlação, pela reações afins, de doação de energias embora em degrau bioquímico diverso, com a mecânica da ectoplasmia?

Na ectoplasmia, a bioquímica seria mais avançada, e deverá existir uma participação toda especial das camadas profundas do psiquismo do doador, sem que a vontade e o raciocínio da zona superficial ou consciente possam interferir. Isso não quer dizer que a zona do inconsciente ou espiritual do doador ou médium seja a responsável pelo processo ectoplásmico, mas uma zona orientadora dos mecanismos psicológicos e parapsicológicos.

Só haverá ectoplasmia de um ser humano quando o campo inteligente do agente psi-theta, ou campo espiritual, comandar o processo. O inconsciente ou psiquismo de profundidade do médium dirige o seu próprio metabolismo e quimismo, mas nunca a moldagem externa do objeto. A substancia ectoplasmica, ao definir a morfologia humana, terá que sofrer a influencia orientadora dos vórtices inteligentes do agente modelador que, de acordo com a necessidade e possibilidade, traduziu o processo de modo parcial ou total, a fim de atingir a sua finalidade.

As variedade de ectoplasmia são inúmeras e com tonalidades especificas. Existem moldagens tão marcantes da parte do doador (médium) que o campo modelador não consegue efetivar com precisão as suas próprias características, mostrando semelhança com o corpo do médium; é como se o médium reforçasse o mecanismo com substancia pré-moldada, isto é, como se o seu corpo astral (matéria orgânica especifica irradiante) fosse projetado na massa ectoplasmica em processamento. Isso tem criado muita celeuma quanto à validade do processo. Aqui não cabe a discussão do problema.

Além das variedades parciais ou totais, a ectoplasmia poderá ser opaca ou luminosa. Neste ultimo caso, pela iluminação da forma em exposição devido à queima do fósforo, será apreciada com detalhes, pela nossa visão, a aparição. Sabemos que os processos de ectoplasmia, em sua maioria, necessitam da ausência de luz branca para a sua realização; esta como que desorganiza o processo, o que não acontece com a faixa luminosa do vermelho, até recomendado nas câmaras de ectoplasmia.

Concluindo, a ectoplasmia encontraria no ATP das células umas das substancias especificas paras as próprias moldagens. E estas só seriam possíveis com a presença do campo-organizador-orientador do agente psi-theta ou Campo Espiritual.


Dr. Jorge Andréa é articulista do site CVDEE (Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo). www.cvdee.org.br/index.asp

(Extraído da revista Espiritismo e Ciência 13, páginas 10-41)


Ectoplasma

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.



Dr. Albert von Schrenck-Notzingobservando o que seria uma manifestação ectoplásmica feita pela médium Eva Carrière(1912).

materialização ectoplásmica de um rosto feita pela médium Eva Carriére (1912).O termo ectoplasma (gr. ektós "por fora" e plasma "molde" ou "substância" que sai de qualquer lugar do corpo), foi introduzido na Parapsicologia pelo fisiologista Charles Richet para designar uma espécie de substância esbranquiçada que pode exteriorizar-se para fora do corpo de determinados médiuns, mais frequentemente pela boca, mas que pode sair por qualquer parte do corpo.[1] É também supostamente sensível a determinados impulsos, se exterioriza visível a partir do corpo de determinados indivíduos com características especiais (sensitivo), permitindo a materialização de formas de corpos humanos distintos daquele de onde saiu ou de formas de membros tais como mãos, rostos e bustos (ectocoloplasmia - formação de apenas partes ou membros do objeto ou coisa materializada). Apesar de existirem muitos registros de atividade ectoplásmica, incluindo vasto material fotográfico, sua existência, até o momento, não foi comprovada pelo método científico.

Alguns registros

O ectoplasma é, alegadamente, uma substância fluídica, de aparência diáfana, sutil, que flui do corpo de um médium apto a produzir fenômenos físicos, principalmente a materialização.
O pesquisador Ernesto Bozzano, relata em seu livro "Pensamento e Vontade", que a substância ectoplásmica já era bem conhecida pelos alquimistas do século XVII, como Paracelso, que a denominou Mysterium Magnum, e Thomas Vaughan, que a definiu por Matéria Prima. Também o polímata Emanuel Swedenborg, grande espiritualista do século XVIII, realizou experimentos com a substância sem empregar o termo ectoplasma, registrou sobre “uma espécie de vapor que lhe saía de todos os poros, um vapor d'água assaz visível, que descia até roçar no tapete”[2] .
O criador do termo, C. RichetNobel de Fisiologia ou Medicina em 1913 por descobrir a anafilaxia (uma reação alérgica), dedicou-se a trabalhos com o intuito de descrever experiências sobre os fenômenos de materialização produzidos por Eva Carrière e alguns outros médiuns.[3]
O psiquiatra italiano Enrico Imoda, produziu o livro "Fotografias de Fantasma", com prefácio de C. Richet. Nesse livro, Imoda mostra uma teoria elaborada a partir das experiências de ideoplastia, onde propôs três formas para o ectoplasma: a invisível, a fluídica-visível e a concreta. Posteriormente, o psiquiatra francês Gustave Geley, primeiro diretor do Instituto Metapsíquico Internacional de Paris, alegou nas sessões de materializações que o ectoplasma, ainda na forma invisível, girava em torno das pessoas antes da produção dos fenômenos.
O Professor Geley afirmava que, nestas sessões, que realizou na Europa e nos Estados Unidos junto a outros cientistas, Espíritos, ou "operadores" como Geley os chamava, agiam sobre o cérebro do médium, para provocar a emanação do ectoplasma, que ia se acumulando até que fosse empregado por esses mesmos espíritos para produzirem diversos tipos de fenômenos mediúnicos de efeito físico, tais como a materialização e o poltergeist. Infelizmente esses trabalhos realizados no fim do século XIX e início do século XX ocorreram sem o uso concreto do método científico e até hoje a existência do ectoplasma não foi provada por meio de tal método.
O ectoplasma é descrito como um fenômeno natural mediúnico que produz uma substância etérea (semi-material) com a propriedade ou possibilidade de adensar-se até ficar ao alcance dos cinco sentidos humanos, tornando-se visível, tangível e, ainda, sob o influxo da vontade dos espíritos, moldável, assumindo a forma e algumas características de objetos ou seres orgânicos, inclusive corpos humanos completos.
As pesquisas científicas em relação ao ectoplasma foram feitas em proporção relativamente grande até a década de 1920.

Suposta composição

O ectoplasma seria uma substância fria e úmida. As vezes de consistência um pouco viscosa e no geral inodora. Aqui estão listadas alguns relatos de sua composição hipotética:[4]
  • O pesquisador James Black teria pesquisado a química do ectoplasma chegando até mesmo a postular a fórmula molecular: C120H1184N218S5O249.
  • Albert von Schrenck-Notzing teria citado que o ectoplasma se constitui por restos de tecido epitelial e gorduras.
  • V. Dombrowsky alegou ter encontrado além disso matéria derivada de albumina e células orgânicas sem amiláceos e açúcares.
  • Júlia Alexandre Bisson e Liebdyinski teriam verificado ao microscópio também leucócitosminerais e células semelhantes as de bactérias.
  • O médico psiquiatra Luciano Munari no entanto suspeita que o ectoplasma propriamente dito teria sido contaminado pelas substâncias citadas, uma vez que deixam o corpo do médium. Exames bioquímicos teriam confirmado a presença de proteínas,aminoácidoslipídios, minerais e água em abundância.[4]

Outras acepções

O termo ectoplasma, largamente utilizado no cinema em filmes e desenhos animados onde aparecem fantasmas, ganhou certa popularidade, e teria tido acepções não necessariamente condizentes com os conceitos religiosos ou parapsicológicos, nem por isso menos verdadeiro considerando que trata-se de suposição.
É no Espiritismo, consoante seu crescimento ocorrido no Brasil, entretanto, que o vocábulo ganhou definições mais específicas, estabelecendo-se conceitualmente como a substância base para as manifestações físicas decorrentes de supostos fenômenosmediúnicos.

Filmografia

  • "Ectoplasma (O Filme)". Ganem, Frederico (entrevistado); Vieira, Waldo (depoimento); Luna, Mário (edição). Produção: ViaCons Filmes (coprodução TV-Complexis), 2013.
  • "Science and the Seance". Produção: British Broadcasting Corporation, 2005.
  • "The Haunting in Connecticut". Produção: Gold Circle Films e Integrated Films & Management, 2009.

Referências

  1. Ir para cima «Glossary - Key Words Frequently Used in Parapsychology» (em inglês). The Parapsychological Association. 2009. Arquivado desde o original em 1997. Consultado em 17-04-2013. «Term introduced into parapsychology by Charles Richet to describe the “exteriorized substance” produced out of the bodies of some physical mediums and from which materializations are sometimes formed. (From the Greek ektos, “outside,” + plasma, “something formed or molded”)»
  2. Ir para cima BOZZANO, Ernesto. Pensamento e Vontade. 8 ed. Rio de janeiro: FEB 1991. Pgs. 67 e 68.
  3. Ir para cima DOYLE, Arthur Conan, Sir (1960). História do Espiritismo. trad. Júlio de Abreu Filho Pensamento [S.l.]
  4. ↑ Ir para:a b Munari, Luciano Ricardo (2008). «1». In: Margareth R. Fonseca Carvalho. Ectoplasma. Descobertas de um médico psiquiatra 1ª ed. (Limeira, SP: Editora do Conhecimento). p. 23 e 24. ISBN 978-86019-05-4 Verifique |isbn= (Ajuda).
Fonte:Wikipedia

Ectoplasmia



Ectoplasma emanando pelo nariz
Ectoplasmia é um vocábulo que deriva do grego ectos = fora e plasma = coisa formada ou modelada.
Ectoplasma é uma massa mais ou menos  informe, gelatinosa, esbranquiçada, que sai do corpo dos médiuns, ou melhor, das pessoas parapsicologicamente dotadas. portanto, ectoplasmia designa o fenômeno, ectoplasma a substância.
Ectoplasmia é uma exteriorização e condensação de telergia, mais ou menos moldada, capaz de produzir figuras como seja uma mão rudimentar ou figuras humanas. Segundo o parecer de todos os especialistas, é uma energia transformada, a julgar pelas suas variadíssimas funções. O ectoplasma emana do dotado e nele, depois, se reabsorve, uma vez que se forma do corpo do dotado. É como uma prolongação do corpo e da sensibilidade da pessoa em questão.

Ectoplasma envolvendo a dotada parapsicologicamente
                                                                     FRAUDES
Como em todo fenômeno dessa natureza, deve-se primeiro ter o cuidado de excluir completamente a fraude.
Talvez o maior trucador em ectoplasmia tenha sido o médium espírita Ladislas Lassio, natural da Hungria. A médium escocesa Helena Victoria Duncan era considerada pelos espíritas como uma das melhores provas da intervenção dos espíritos do além. Sua especialidade era a ectoplasmia.
Acontece, porém, que o especialista em ilusionismo Harry Price descobriu todo truque, assim a médium caiu do seu pedestal. Tratava-se de regurgitação. Era ela capaz de expelir em parte e reabsorver, no estômago e no esôfago, sem nenhum espasmo  de vômito, as substâncias ingeridas. Aliás uma qualidade rara, que supõe muito treinamento até dar certo.
As técnicas e os instrumentos de truque para produzir ectoplasma são muitos: Tecidos de seda e musselina, gaze de diversos tipos, pulmões de animais, até mesmo cordões umbilicais e intestinos de animais tem-se usado, por incrível que pareça. Um tecido especial de “seda” japonesa de 1,3 cm de volume pode formar um balão de cinco metros de diâmetro. Devido ao exíguo volume torna-se fácil esconder esse material de truque em alguma cavidade do corpo humano. As possibilidades de truque, neste particular, são enormes.
                                             SEMELHANÇAS NO MUNDO ANIMAL
Diga-se de passagem que no mundo dos animais observamos diversos fenômenos que lembram a ectoplasmia. Assim, por exemplo, algumas aves de rapina da Venezuela, da família das catárdidas, durante a digestão, emitem pelas narinas um líquido viscoso, esbranquiçado, que se assemelha ao ectoplasma.
Algo parecido se dá com os protozoários. As amebas emitem, do seu corpo celular, pseudópodes; lançam-nos contra suas presas…depois absorvem-nos de novo no seu corpo.
                                          ECTOPLASMIAS AUTÊNTICAS
Eva Carrère foi talvez a dotada que mais se distinguiu na ectoplasmia pura. Foi estudada pelo Dr. Schrenck-Notzing e pela Senhora Bisson. Para evitar toda e qualquer fraude foi adotado o maior rigor possível no controle. Nos anos de 1909 e 1910 saía do corpo de Eva uma substância acinzentada, meio branca em bastante quantidade. Houve ectoplasmias notáveis. Cerca de duzentas pessoas, entre elas as mais céticas e os melhores especialistas neste tipo de investigações, foram convidadas a assistir às sessões, ficando convencidas da autenticidade de muitas ectoplasmias.
Não se nega, evidentemente, a possibilidade e mesmo algum fato de algumas fraudes, em ocasiões em que o controle foi algum tanto negligenciado.
Também Eusápia Palladino produziu, em plena luz, e sob as melhores condições de controle verdadeiras ectoplasmias. E quando o fenômeno não se manifestava lançava de truques, para salvar as aparências.

Experimentos realizadas com a médium Eusápia Palladino.
A Telergia nada mais é que exteriorização e condensação de telergia mais ou menos moldada.
O dotado Willy Schneider foi estudado pelo Dr. Schrenck-Notzing nos anos de 1922 e 23, em Munique. Associaram-se a essas investigações, 24 professores universitários, 18 médicos, 19 cientistas, além de um perito em mágicas. Esteve presente também o Dr. Gustavo Gelley, diretor do “Institut Metapsychique International” de Paris e o Dr. Eric J. Dingwall, cético e excelente parapsicólogo. Todos eles ficaram convencidos da autenticidade das manifestações ectoplasmáticas.
A sala era iluminada com suficiente luz vermelha. Willy estava seguro por dois controladores; além disto seus braços e joelhos estavam munidos de pontos fosforescentes que delatariam qualquer movimento. Willy durante o transe ficava na mais absoluta imobilidade. Os 94 investigadores excluíram todo e qualquer tipo de fraude, tal era o rigor do controle.
Willy foi encerrado numa caixa de gaze, com uma única e estreita abertura, por onde seguravam suas mãos. Fora da caixa de gaze colocavam-se os objetos a movimentar, a um metro e meio de distância. Nessas condições saíam da boca, das costas e do epigástrico de Willy formações ectoplasmáticas que, junto ao corpo do dotado, tinham a forma de cordões, e à medida que iam avançando adquiriam a forma de hastes  e, na extremidade, a forma de mãos rudimentares. Esses ectoplasmas por vezes eram visíveis, outras só se percebiam mediante o tato, apesar da dor intensa que então Willy manifestava com seus gritos. O ectoplasma não atravessava a gaze, mas saía serpenteando e apalpando as mãos dos controladores pela estreita abertura. O ectoplasma realizava pequenas telecinesias, mais raramente com um objeto mais pesado, como seja: certa feita foi transportada uma vitrola de sete quilos e meio de peso. Em algumas ocasiões o ectoplasma atravessou a parede de gaze, fazendo soar depois uma vitrola… Willy, entretanto, permanecia completamente imóvel. Todas as testemunhas qualificadas depuseram, que o fenômeno se deveu a uma projeção de ectoplasma sólido que partiu do lado direito das costas de Willy, em forma de haste fina. O levantamento dum lenço, por movimentos enérgicos, permanecendo no ar por três ou quatro segundos, foi outro fenômeno claramente observado naquela ocasião. O célebre escritor Thomas Mann, que se achava presente nessa determinada sessão observa: “Pensar em truque é um absurdo… não havia absolutamente ninguém para fazê-lo”.

Ectoplasma realizando a telecinesia em uma mesa
Nas experiências em série, realizadas pelo Dr. Crawford, verificamos também o ectoplasma a manifestar-se em forma de alavanca, como em certos casos com Willy Schneider, em figura de haste.
Tanto a alavanca de Crawford, como a haste de Willy apresenta mil formas diferentes e desempenha os trabalhos mais diversos. A alavanca se curva, se inclina, serpenteia, dobra-se dirige-se a um lado ou a outro, estreita-se, alonga-se, de acordo com as exigências do caso.
É claro que o polipsiquismo do grupo pode contribuir muito para o sucesso mais espetacular do fenômeno.
O leitor desejoso de aprofundar esse assunto para sua orientação científica ou ideológica recorra aos dois volumes “As forças Físicas da mente” de ). Quevedo. Aduzi alguns fenômenos dos médiuns acima, por pertencerem ao rol dos mais invocados pelos espíritas, e por outra, serem dos mais bem estudados pelos especialistas no ramo.
FONTE: Trecho do livro “Panorama da Parapsicologia ao alcance de todos – Edições Loyola
https://parapsicollogia.wordpress.com/fenomenologia/fenomenos-de-efeitos-fisicos/ectoplasmia/

Ectoplasma - Rompendo a Fronteira Física

Alex Alprim

No mundo das manifestações espirituais, vários fatos e fenômenos compõem um vasto conjunto de provas da existência de uma realidade espiritual e de como essas energias conscientes entram em contato com o mundo físico. Uma das mais impressionantes manifestações é a formação do ectoplasma, um fenômeno que ainda aguarda uma investigação mais efetiva.
No fim do século 19 e início do século 20, houve uma intensa busca para se compreender os fenômenos espirituais que tomavam conta dos salões onde ocorriam os chamados fenômenos espirituais. Evidentemente,  a base desses encontros eram os contatos com entidades espirituais, mas também significavam divertimento – algo de novo sendo introduzido numa sociedade que começava a se preparar para encarar essa nova realidade. A intensa utilização de médiuns e os fenômenos que eles apresentavam, também levaram a uma vulgarização dos acontecimentos do "mundo do além", especialmente devido à grande quantidade de fraudes, muitas delas desmascaradas pelos cientistas que pesquisavam o assunto.
A intensidade dos fenômenos e a profusão dos “poderes” dos médiuns – que passaram a surgir em cada esquina – originaram uma grande quantidade de estudos sobre tais fenômenos, desenvolvidos por cientistas credenciados. O resultado foi a elaboração de vários trabalhos e documentos que atestavam a existência de eventos parapsicológicos legítimos, como a clarividência, a materialização, a comunicação com os mortos, etc.
De todos os fenômenos estudados, um dos mais impressionantes, atraindo inúmeras pessoas e os jornais sensacionalistas, foi a ectoplasmia ou materialização. Centenas de casos, devidamente comprovados, foram fotografados e medidos por diversos pesquisadores que relataram detalhadamente as manifestações e produziram uma base científico-espiritualista para compreender a produção nos mais diversos ambientes e condições da “matéria espiritual”.
Como sempre ocorre com os fenômenos espirituais, os enganadores tentaram se aproveitar da credulidade e da fé das pessoas, muitos deles sendo desmascarados como fraudes. Alguns faziam uso de luvas, vapores e de  ilusionismo para enganar a platéia que ia ver os “espíritos”. Essa situação acabou por gerar uma grande dose de desconfiança e a perda de prestígio dos fenômenos parapsicológicos na comunidade científica de forma geral (que, em grande parte, se mantém cética até os dias atuais, apesar das evidências reunidas).
Contudo, existiam médiuns que produziam eventos legítimos de materialização que podiam ser devidamente comprovados como reais e incontestáveis. Muitos pesquisadores, mesmo contra as opiniões contrárias, continuaram pesquisando e descobrindo as peças que formavam o quebra-cabeça das materializações.
As idéias apresentadas nos trabalhos de diversos estudiosos, levaram à aceitação de que o ectoplasma é gerado mediante uma notável interação entre diversos planos físicos e espirituais, durante a qual as vibrações etéricas acumulariam matéria das pessoas envolvidas nas manifestações e reproduziriam as intenções do espírito manifestado de uma forma consistente e material.
Os estudiosos concluíram que, na verdade, existe um número reduzido de pessoas capazes de produzir casos autênticos de ectoplasmia, mesmo sem ter de recorrer a ritos específicos ou realizar as chamadas "sessões". Acredita-se que os médiuns aproveitam as energias etéricas, magnéticas e do seu envolvimento com o mundo espiritual, somadas às vibrações emanadas das pessoas presentes ao experimento, e assim produzem as energias e condições necessárias para a manifestação.
No Oriente, essa idéia já foi muito discutida e difundida, além de experimentada, ao longo de milhares de anos. Aqueles que possuem tais poderes (siddhas) não são necessariamente sábios (rishis, pessoas de conduta irrepreensível e de profundo saber espiritual); na verdade, muitos deles fazem uso de suas capacidades para ganhar a vida, como se fossem pianistas, desenhistas ou qualquer profissão que exigisse algum dom especial.

O Médium

A manifestação de ectoplasma causa esgotamento físico nos médiuns, pois eles cedem parte de sua “energia vital” para produzir e enriquecer a materialização periespiritual (Gilberto, no Livro dos Espíritos, eles escrevem perispírito. Portanto, por analogia, deveria ser perispiritual. Contudo, como, atualmente, não tenho sido uma leitora assídua dos livros kardecistas, gostaria que você confirmasse isso.) Isso foi devidamente comprovado por uma série de investigações realizadas por W. J. Crawford, professor de Engenharia Mecânica da Queens University, de Belfast. Ele se dedicou a estudar uma médium famosa na Irlanda, conhecida como Goligher, e descobriu que, durante as sessões (quando surgia o ectoplasma), tanto a médium quanto seus assistentes perdiam peso. Com um conjunto complexo de medidas, ele determinou que, nas manifestações de ectoplasma (quando ele saía pela boca da médium), ela perdia cerca de vinte e seis quilos (algo considerável para qualquer ser humano), e ainda anotou em seus estudos que  a perda de peso de massa era evidente no corpo da médium, pois ela definhava a olhos vistos.
O professor Crawford, segundo foi relatado por várias pessoas próximas, estabeleceu uma teoria coerente para explicar o surgimento e a materialização do ectoplasma,  plausível tanto para os cientistas quanto para os espíritas; só que essa teoria nunca chegou ao conhecimento do público, pois ele nunca a revelou a quem quer que fosse. Desde então, surgiram vários boatos, mas nada foi revelado, nem mesmo após a sua morte.
Um trabalho notável no que diz respeito à comprovação científica da ectoplasmia foi desenvolvido pelo barão von Schrenk-Notzing. Ele conseguiu obter um pedaço de ectoplasma e realizou mais de uma centena de exames laboratoriais. Descobriu-se a presença de leucócitos (células do sistema imunológico humano) e células epiteliais (pele, a primeira camada celular), colocando em cena os possíveis mecanismos psicofísicos da ectoplasmia.
Essa análise corroborava a idéia de que os médiuns contribuem ativamente com a sua própria “matéria” para a formação das materializações. O barão von Schrenk-Notzing ampliou as definições existentes sobre o ectoplasma, afirmando: “É uma matéria inicialmente semifluida, que possui determinadas propriedades da matéria viva, especialmente a capacidade de mutação de movimentos e de tomar diversas formas”. Como podemos perceber, o barão tinha a idéia de que o ectoplasma era algum tipo de interação orgânica entre o médium e as forças espirituais.
Os cientistas e outros pesquisadores também coletaram centenas de fotografias das sessões de materialização; elas mostram imagens com formas e estruturas variadas. Geralmente, surgem em torno do médium das mais diversas maneiras: às vezes, de forma difusa, outras, de maneira bastante nítida. Formam rostos, fios translúcidos, pedaços de corpos, mãos e outras estruturas não-identificáveis.
Algumas das materalizações mais surpreendentes da época foram produzidas pelas médiuns Eva Carrière e Eusapia Palladino. Mesmo com um histórico polêmico quanto à autenticidade de suas manifestações, a produção de ectoplasmia das médiuns foi fotografada e analisada.
Um evento notável em sua extensão e nas conseqüências científico-espirituais, foi o ocorrido em 1913, durante uma convenção espírita em Moscou. Nela, um grupo de investigadores perguntou a um espírito materializado se havia algum problema em se realizar uma intervenção cirúrgica em seus antebraços ectoplasmáticos, para que pudessem ver a substância da qual eram compostos. Ele aceitou, impondo como condição que ele iria se preparar para que o médium nada sofresse no processo. Após cinco meses, os investigadores e o médium voltaram a se reunir, e a operação foi realizada. Em um dos antebraços os pesquisadores encontraram uma constituição perfeitamente humana (ossos, nervos, sangue, etc,), enquanto o outro era formado por uma substância gelatinosa, clássica nos casos de ectoplasmia, e sem definição de partes constituintes.
Esse fato contribuiu para colocar a materialização ectoplasmática novamente sob um prisma científico. Alguns experimentos chegaram a extremos, como no caso de médiuns colocados em cadeiras e equipamentos especialmente projetados para evitar fraudes e, ainda assim, os eventos ocorreram e foram detectados por aparelhos sensíveis , deixando de lado qualquer dúvida sobre a autenticidade do fenômeno.

Explicando o Ectoplasma

As teorias que procuram explicar a ectoplasmia partem de um ponto comum: a existência de uma forma energético-espiritual, denominada perispírito. Essa substância preencheria o corpo material enquanto encarnado, servindo como receptáculo da consciência durante a estada do ser no mundo físico-espiritual. É pela interação entre os perispíritos desencarnados e as energias espirituais dos encarnados que médium e espírito podem, então, romper os limites mentais e as fronteiras físicas, produzindo o ectoplasma.
Esse perispírito foi relatado por vários médiuns, que o descreveram das mais variadas formas. Geralmente, é visto como um vapor branco-azulado que se desprende dos corpos de pessoas mortas, saindo pela região do chacra coronário (alto da cabeça). Essa “matéria” teria uma existência intermediária entre as formas densa (atômica) e espiritual (etérea).
Segundo alguns estudiosos, isso também é comprovado por meio das fotografias Kirlian, que mostram uma estrutura energética envolvendo os mais diversos objetos e, em específico nos seres humanos, mostram uma profusão de cores e linhas que lembram os “caminhos de luz” descritos nos antigos textos orientais sobre a acupuntura, quando falam a respeito das linhas energéticas.
Segundo o que se conhece atualmente dos mecanismos da ectoplasmia, o médium usa seu perispírito para interagir com o perispírito do desencarnado; cedendo material orgânico e energético, gera o ectoplasma e auxilia, com sua carga cultural e imaginativa, para construir a materialização.
Não há qualquer dúvida quanto à razão da ectoplasmia atrair tanta atenção: é uma manifestação visível, palpável, muitas vezes mensurável. Ao contrário de outros fenômenos espirituais, ou parapsicológicos, se preferirem, causa um impacto mais imediato. E não são poucos os que se dedicam ao seu estudo que afirmam ser a ectoplasmia o fenômeno parapsicológico que apresenta o maior número de provas. Além disso, permite que os pesquisadores possam comprovar, de forma relativamente simples, se é uma manifestação verdadeira ou fraudulenta.
Não se sabe muito bem em que ponto se encontram as pesquisas científicas com relação ao assunto. Cientistas que não estão ligados ao espiritismo pouco ou nada falam sobre o assunto, ou então rechaçam completamente o fenômeno, entendendo que ele jamais foi devidamente comprovado, apesar das inúmeras evidências coletadas.
O que se sabe ao certo é que o fenômeno continua a ocorrer, e a ser registrado, em muitos centros espíritas e em locais que nada tenham a ver com a doutrina. Resta esperar que pesquisas mais afirmativas e profundas sejam realizadas.

Pesquisas Recentes

Quando se fala sobre o fenômeno da ectoplasmia, geralmente são apresentados documentos e fotos antigas. A verdade é que esses casos foram muito examinados nos primórdios das pesquisas parapsicológicas, fotografados e registrados com o rigor científico possível na época. Depois, a impressão que se tem é de que as pesquisas foram um tanto esquecidas.
No entanto, existem grupos de pesquisa, espíritas ou não, que continuam procurando obter registros cientificamente válidos para o fenômeno, e muitas vezes com êxito. As pesquisas não são muito divulgadas: o que se ouve dizer é que os pesquisadores preferem realizar suas experiências sem grande alarde, mantendo os resultados conhecidos apenas de um pequeno grupo de interessados, evitando o escárnio que geralmente ocorre quando se fala sobre certos assuntos.
Nas pesquisas do dr. João Alberto Fiorini, que deverão ser publicadas em livro, ele informa que o ectoplasma é sensível à ação da luz comum (branca) e reage ao pensamento. Por outro lado, suporta bem as radiações pouco energéticas do espectro da luz, como o vermelho e o infravermelho. A temperatura é um pouco inferior à do ambiente em que se encontra o médium, e sua cor pode ser acizentada, branca, amarelada, malhada ou negra. Também se encontra em todos os estados, ou seja, invisível, visível, gasoso, plasmático, tangível, morfo, foculoso, filamentoso, sólido e estruturado.
Esperamos, em breve, poder apresentar algumas imagens e documentos obtidos a partir de pesquisas do gênero, no Brasil, assim como conversar com cientistas envolvidos na pesquisa parapsicológica, para que eles apresentem seus depoimentos a respeito e, quem sabe, algumas pesquisas científicas. (GS)

Fenômenos de Ectoplasmia

Ectoplasma: O ectoplasma pode exteriorizar-se em qualquer parte do corpo do médium, ao qual está vinculado estreitamente. Dirigido pelas forças presentes, o ectoplasma pode causar o fenômeno da telecinesia, que é a movimentação de objetos. Em alguns casos, foi comprovado que o ectoplasma saía do corpo do médium e, apoiando-se no chão, formava uma espécie de alavanca, conseguindo assim erguer objetos bem mais pesados do que o médium.
Ectoplasmia: Do grego ectós, "fora"; plasma, "coisa formada". Ectoplasmia designa o fenômeno; ectoplasma designa a substância.
Ectocoloplasmia: Termo que foi utilizado para definir a "modelagem" do ectoplasma para formar membros ou partes de pessoas, animais ou objetos.
Fantasmogênese: A produção ectoplasmática de um fantasma de pessoa, animal ou coisa, pelo menos aparentemente inteiro.
Transfiguração: A transformação do próprio corpo do médium por meio do ectoplasma.

Fonte:http://www.espirito.org.br/portal/publicacoes/esp-ciencia/003/ectoplasma.html


ECTOPLASMIA E MATERIALIZAÇÃO (Reunião de 22/08/2012)
1-Conceitos: O que é Materialização? O que é Ectoplasma?
A materialização de espíritos é um dos aspectos mais interessantes estudados no espiritismo, mas não é "propriedade" desta doutrina em particular. A vinculação se deu porque, nos primórdios do Espiritismo, ainda na França, o fenômeno foi muito estudado e ganhou publicidade e respaldo de cientistas, que viam no Espiritismo um novo ramo da Ciência. Antes disso, os fatos a esse respeito eram vistos com reservas e segredos.
Em ocasiões especiais um espírito faz-se visível a nós, encarnados, sem a necessidade de um médium. Algumas vezes só para uma pessoa, outras vezes para todos, indistintamente. O processo envolve uma "baixa" na vibração do corpo espiritual, grosso modo como um disco de cores do Newton, que ao diminuir sua rotação podemos divisar as cores que até então não víamos. Para o caso dos espíritos, ainda não há uma explicação científica aceitável, mas pelo que se sabe isso envolve a reunião dos fluidos vitais (algo parecido com a nossa "energia animal") de um médium ou de um grupo de pessoas para permitir a manifestação do espírito.
Em outros casos, o espírito utiliza-se de uma "cobertura" de ectoplasma, um líquido viscoso produzido pelo corpo e que sai de dentro do médium por todos os orifícios e por algum motivo é moldável com o pensamento. O termo foi batizada por Charles Richet de Ectoplasma (do greo ektós, fora, exterior, e Plasma). É uma substância viscosa, esbranquiçada, quase transparente, com reflexos leitosos, evanescente sob a luz, e que tem propriedades químicas semelhantes às do corpo físico do médium, donde provém. É extremamente sensível a eletricidade e magnetismo, podendo ser moldável pelo pensamento e vontade do médium que o exterioriza, ou dos Espíritos desencarnados, podendo assim eles atuarem sobre a matéria.
2- O que nos fala o Livro dos Espíritos sobre o tema?
Para entender melhor isso temos que recorrer ao Capitulo II do Livro dos Espíritos, questões 27, 30 e 33:
27. Haveria, assim, dois elementos gerais do universo: a matéria e o Espírito?
– Sim, e acima de tudo Deus, o Criador, o Pai de todas as coisas. Deus, Espírito e matéria são o princípio de tudo o que existe, a trindade universal. Mas ao elemento material é preciso acrescentar o fluido universal, que faz o papel de intermediário entre o Espírito e a matéria propriamente dita, muito grosseira para que o Espírito possa ter uma ação sobre ela. Ainda que sob certo ponto de vista se possa incluí-lo no elemento material, ele se distingue por propriedades especiais. Se o fluido universal fosse matéria, não haveria razão para que o Espírito não o fosse também. Ele está colocado entre o Espírito e a matéria; é fluido, como a matéria é matéria; suscetível, por suas inumeráveis combinações com ela e sob a ação do Espírito, de poder produzir uma infinita variedade de coisas das quais conheceis apenas uma pequena parte. Esse fluido universal, primitivo, ou elementar, sendo o agente que o Espírito utiliza, é o princípio sem o qual a matéria estaria em perpétuo estado de dispersão e nunca adquiriria as propriedades que a força da gravidade lhe dá.
30. A matéria é formada de um único ou de vários elementos?
– De um único elemento primitivo. Os corpos que considerais simples não são verdadeiros elementos, mas transformações da matéria primitiva.
33. A mesma matéria elementar é suscetível de passar por todas as modificações e adquirir todas as propriedades?
– Sim, e é o que se deve entender quando dizemos que tudo está em tudo*.
* Esse princípio explica o fenômeno conhecido de todos os magnetizadores e que consiste em dar, pela vontade, a uma substância qualquer, à água, por exemplo, propriedades muito diversas: um gosto determinado e mesmo as qualidades ativas de outras substâncias. Uma vez que há apenas um elemento primitivo e que as propriedades dos diferentes corpos são somente modificações desse elemento, resulta que a substância mais inofensiva tem o mesmo princípio que a mais prejudicial. Assim, a água, que é formada de uma parte de oxigênio e de duas de hidrogênio, torna-se corrosiva duplicando-se a proporção de oxigênio. Uma transformação semelhante pode se produzir pela ação magnética dirigida pela vontade (N. K.).
3-De onde surge o Ectoplasma?
As ações desenvolvidas pelos efeitos dessa mediunidade afetam o ambiente material e, por isso, são denominados de efeitos físicos. Os fenômenos de efeitos físicos resultam da ação dos espíritos sobre os fluidos até chegar a produzir resultados perceptíveis no mundo material. Os efeitos dessa mediunidade são percebidos por qualquer pessoa que os possa presenciar.
O efeito físico é o resultado da combinação dos fluidos do espírito, do o ectoplasma do médium e os fluidos do ambiente. Com esses três elementos o espírito gera o fenômeno, o anima e controla pelo pensamento.
Fluidos
André Luiz, no livro Domínios da Mediunidade, afirma que o fluido é um material leve e plástico, necessário para a materialização. Podemos dividi-lo em três elementos essenciais: fluidos A, representando as forças superiores e sutis da esfera espiritual (são, geralmente, os mais puros); fluidos B, nascidos da atuação dos companheiros encarnados e, muito notadamente, do médium; e fluidos C, constituindo energias tomadas à Natureza terrestre (são os mais dóceis).
Os Espíritos agem sobre os fluidos, intencionalmente ou não, conforme o esclarecimento e a evolução.
As formações fluídicas são geradas pelo pensamento e dependem da capacidade de cada um ter mais ou menos potencialidade de criar formas através da manipulação de fluidos.
Podem aglomerar, dirigir, modificar e até combinar entre si para obter resultados ou conferir-lhes propriedades.
É assim que, no campo espiritual, as “coisas” são plasmadas (formadas).
4- Importância da relação médium e protetor (sintonia, afinidade)
Por isso é de fundamental importância que se tenha uma afinidade entre o médium e o espirito protetor, para permitir que o fenômeno ocorra.
IMPORTANTE RESSALTAR: TODOS OS CASOS DE MATERIALIZAÇÕES TEM O “PATROCÍNIO” DOS ESPÍRITOS PROTETORES.
5- Casos históricos
Mme. D’Esperance
Eusápia Paladino
Arigó
João de Deus
Jesus
6-Tipos de Ectoplasmia, principais funções e “custo x benefício” dos fenômenos:
a) Materialização: Materialização parcial ou completa de espíritos ou objetos da dimensão espiritual
b) Telecinesia: movimentação da matéria sem o contato humano, levitação, mover objetos.
c) Cirurgias Espirituais: Para-heostasia (não sangra), para-assepsia (sem limpar os objetos) para-anestesia (sem dor)
d) Ideoplastia: materialização das idéias – realizar planos que sejam em prol da evolução espiritual.
e) Desobsessão: e encaminhamento de espíritos.

Fonte:https://www.facebook.com/LuzEncaminha/posts/429107497146256


DIFERENÇA ENTRE ECTOPLASMIA E MATERIALIZAÇÃO DE ESPÍRITOS


DAVILSON SILVA
davsilva.sp@gmail.com
São Paulo, SP (Brasil)
  
Para quem gosta de ler, de pesquisar, de ouvir falar sobre Materialização de EspíritosEctoplasmia, o certo é: assisti a uma sessão de Materialização ou assisti a uma sessão de Ectoplasmia? Essas duas expressões têm o mesmo sentido? Pesquisadores denominam médiuns de ectoplasmia, ou médiuns ectoplastas, os que produzem ectoplasma. Há nos meios pelos quais se obtém os fenômenos físicos de características peculiares.

Ectoplasmia e materialização não denotam a mesma coisa. Ectoplasmia, ou processo ectoplasmático, entende-se por produto temporário de formações estruturais, mais ou menos metódico. Por se unir ao estudo do desprendimento ectoplasmático, esse termo também é empregado para designar “ciência do ectoplasma”, por causa da faculdade que alguns raríssimos médiuns possuem para fazer aparecerem formas materializadas perto ou longe deles.

Entende-se por ectoplasma uma substância plástica de natureza híbrida, possuidora de alto poder de dissolução, sensível à luminosidade do Sol ou da lâmpada elétrica, afora da lâmpada de irradiação avermelhada feito a de laboratórios fotográficos. (1) O ectoplasma se dispersa com a luz viva ou retorna ao organismo do médium. Em plena obscuridade, o ectoplasma pode se expor à vista em diversas e distintas fases, a modificar-se-lhe as formas em modelagem de bastões, alavancas, espirais, fios, cordas, teias etc. e alguns efeitos apreciáveis. Em contato com a luz, a sua estrutura molecular amolece, interrompendo assim o seguimento ectoplasmático que, não raro, assume caracteres anatômicos de vegetais, animais e até de seres humanos, total ou parcialmente.

Ectoplasmia e Materialização — A ectoplasmia não se resume na produção ectoplasmática de Espíritos materializados e seus correspondentes: desmaterialização e rematerialização. Já a materialização propriamente dita de pessoas desencarnadas e até mesmo encarnadas (muitíssimo rara) tem as suas particularidades.

A materialização é termo empregado para designar corporificação não só de seres humanos assim como de objetos, de plantas, de flores, de animais etc. Trata-se de um fenômeno complexo e observável sob diferentes pontos de vista, a respeito do qual ainda não se pode inferir uma categórica enunciação.

A materialização só pode se processar através da emissão do ectoplasma cujo ponto culminante resulta na sua consistência. Segundo um bem conceituado médico francês, Gustave Geley (1868/1924), autor de interessantíssimas obras a esse respeito, (1) o ectoplasma, quando emitido, logo de início, apresenta-se com uma aparência amorfa, ora sólida, ora vaporosa. Acabamos de dizer que o processo ectoplasmático está ligado à materialização — talvez, por isso, diversos pesquisadores entenderam-no por sinônimo de materialização, perfeitamente compreensível, levando-se em conta os primeiros passos metodológicos investigativos e a época em que principiara o interesse pelos fenômenos espirituais.

Eis sucintamente o que acrescentou Geley acerca da materialização:

Aí está a ectoplasmia, um fato simples considerado em si mesmo, desprendido de algumas complicações que deverão ser estudadas mais adiante, o fato nu dissecado, se assim podemos dizer, na sua estrutura anátomo-fisiológica.

Não forma agêneres — Para certos autores hodiernos, ectoplasmia não se restringe à formação de agêneres (figuras humanas). A diferença entre ectoplasma e materialização acha-se mesmo no modo pelo qual se lhes verificam os fenômenos, embora os fins se equivalham. A materialização origina-se no ato de um corpo orgânico ou inorgânico tornar-se denso ou mais ou menos transparente visto por todos que o observem. O termo ectoplasmia foi criado pelo médico e pesquisador francês, Charles Richet (1850/1935), duas vezes vencedor do prêmio Nobel de Fisiologia.

Quanto à pergunta de início, você pode dizer que foi a uma sessão de materialização assistir aos fenômenos de corporificação parcial ou total de Espíritos; pode dizer que foi a uma sessão de ectoplasmia a fim de apreciar apenas efeitos telecinéticos, pancadas (raps), o fenômeno de pneumatofonia, ou voz direta, o de formas e efeitos luminosos, o de suspensão e de transporte de objetos e até mesmo a própria materialização; veja, você pode ainda simplesmente dizer que foi assistir a uma sessão de Efeitos Físicos.

Eu, por exemplo, prefiro denominar “reunião de efeitos físicos”, em vez de “sessão de efeitos físicos” ou de “ectoplasmia”, ou de “materialização”. O termo sessão remete-se aos exaustivos ensaios científicos de antigamente os quais tinham em vista a prova dos fenômenos; sessão lembra as lamentáveis demonstrações em casa de espetáculos onde falsos médiuns cobravam ingresso do público para ver supostos Espíritos materializados. Acho melhor reunião de efeitos físicos. Sabe por quê? Porque os fenômenos podem até acontecer num mesmo instante, dependendo apenas do emprego das forças e faculdades humanas, principalmente, da competência medianímica do grupo de suporte ao médium físico, aquele que é o principal emissor do ectoplasma.

Notas :
1 - GELEY, Gustave. L’Ectoplasmie et la clairvoyance, observations et expériences personnelles (A ectoplasmia e a clarividência). S/ed. Paris: F. Alcan, 1924. p. 190.
2 - ANDRADE, Hernani Guimarães. A teoria corpuscular do espírito: uma extensão dos conceitos quânticos e atômicos à Ideia do espírito. São Paulo: edição do próprio autor, 1958, p. 207.

Visite Pensamento&Espiritualidade:  http://pensesp.blogspot.com. 

Leitura Recomendada;


ECTOPLASMA – PARTE II                                                                                  (NOVO)
ECTOPLASMA – PARTE I                                                                                  (NOVO)
POR QUE DESAPARECERAM AS REUNIÕES DE MATERIALIZAÇÃO                 (NOVO)
http://espiritaespiritismoberg.blogspot.com.br/2014/07/por-que-desapareceram-as-reunioes-de.html                                                                                                        
HIPÓTESES SOBRE A AÇÃO ORGÂNICA E PSICOLÓGICA DO ECTOPLASMA   (NOVO)
http://espiritaespiritismoberg.blogspot.com.br/2014/07/hipoteses-sobre-acao-organica-e.html

Fonte:http://espiritaespiritismoberg.blogspot.com.br/2014/07/diferenca-entre-ectoplasmia-e.html


Ectoplasma

Freddy Brandi
Ectoplasma Significa: - (do grego ektos – por fora e plasma – da forma modelar)

O ectoplasma é substância amorfa, vaporosa, com tendência à solidificação e tomando forma por influência de um campo organizador específico a mente dos encarnados e desencarnados. Facilmente fotografado, de cor branca-acinzentada, vai desde a névoa transparente à forma tangível. O Ectoplasma está situado entre a matéria densa e a matéria perispíritica (duplo etéreo), pode ser comparado à genuína massa protoplasmática, sendo extremamente sensível, animado de princípios criativos, que funcionam como condutores de eletricidade e magnetismo, mas que se subordinam, invariavelmente, à vontade do médium, que os exterioriza ou dos Espíritos desencarnados ou não, que sintonizam com a mente mediúnica.O ectoplasma seria substância originária no protoplasma* das usinas celulares. O Ectoplasma doado pelo médium depois da moldagem pelo processo de condensação, voltará à sua fonte por mecanismo inverso.
Resumo: - Este pequeno ensaio sobre Ectoplasmia faz referências iniciais sobre o significado do título e os pesquisadores que contribuíram na elucidação do processo. Procura mostrar o que é ectoplasma e o resultado de algumas análises realizadas. Apresenta o conceitobioquímico que pode responder pelo processo, onde o ATP, elemento bastante difundido no metabolismo celular e resultante do ciclo de Krebs, seria uma das unidades chaves na formação da substância ectoplásmica.
Na moldagem de objetos ou seres humanos, com propósitos bem definidos, terá de existir o campo de energias responsável pela congregação e orientação das moléculas do ectoplasma, traduzido num verdadeiro campo-organizador, consciente e inteligente pelo que demonstra, representando o agente Psi-Theta (Espírito) ou campo espiritual.
O ectoplasma foi analisado por vários pesquisadores dos quais destacamos as seguintes conclusões:
Dr.V. Dombrowsky (Varsóvia) - "O ectoplasma está constituído de matéria albuminóide, acompanhado de gordura e de células tipicamente orgânicas. Não foram encontrados amiláceos e açúcares".
Dr. Francês ( Munich) - "Substância constituída de inúmeras células epiteliais, leucócitos e glóbulos de gordura".
Dr. Albert Scherenk-Notzing citado por Charles Richet - "O ectoplasma está constituído por restos de tecido epitelial e gorduras".
Dr. Hernani G. Andrade - "O ectoplasma é Substância formada com recursos da natureza originando-se dos tecidos vegetais (ectofiloplasma) e de origem animal (ectozooplasma) e de origem mineral (ectomineroplasma)".
Para atingir a materialização será necessário:
A – Forças superiores e sutis da nossa esfera.
B – Ectoplasma – extraído do médium – energia da natureza terrestre material para obter a tangibilidade real.
Fluidos: -A – Forças superiores e sutis da nossa esfera.
Fluidos: – B – Recursos do médium e dos que assistem = Ectoplasma.
Fluidos: - C -  Energias da natureza terrestre.
Os fluidos “A” podem ser os mais puros e os fluidos “C” os mais dóceis, mas os fluidos “B” são capazes de estragar e impedir a materialização.
Protoplasma: é a substância que constitui a parte essencial da célula animal ou vegetal e que envolve o núcleo, matéria viva e ativa.
Entretanto, para os espíritos, o ectoplasma é geralmente conhecido como um plasma de origem psíquica, que se exala principalmente do médium de efeitos físicos e um pouco dos outros. Trata-se de uma substância delicadíssima que se situa entre o perispírito e o corpo físico e, embora seja algo disforme, é dotada de forte vitalidade, servindo de alavanca para interligar os planos físico e espiritual. Historicamente, o ectoplasma tem sido identificado como algo produzido pelo ser humano, que, em determinadas condições, pode liberá-lo, produzindo vários fenômenos. O ectoplasma é de difícil manipulação, pegajoso, não se moldando facilmente. Por isso, exige treinamentos e técnicas para que os espíritos possam se utilizar deste fluido. Não é o espírito que se materializa, mas é o ectoplasma que se adere à forma do perispírito dele. A substância sofre bastante a influência da luz do dia e da luz branca, o que causa interferências no fenômeno, tornando-se ideal a utilização de uma luz com tom avermelhado. A materialização pode acontecer sob o efeito da luz branca, mas é preciso haver muito ectoplasma. Também édifícil fazer fotos desse fenômeno com flash, uma vez que há interferência da luz nesse momento. Nas materializações, não é utilizado diretamente o ectoplasma puro exalado pelo médium. É necessário combiná-lo com outros fluidos (espirituais, físicos), ou seja, utilizar nas materializações o ectoplasma elaborado. A presença de apenas uma pessoa incrédula no ambiente dificulta ou até impede a aderência do ectoplasma no perispírito do espírito.
Aqui relacionamos alguns tipos de  ectoplasma.
Se o ectoplasma está relacionado com a matéria que constitui o corpo humano, ele deve existir também nos minerais, nas plantas e nos animais em geral. Em termos de complexidade, esse ectoplasma não deve ser igual ao existente nos seres humanos.
Em princípio, o ectoplasma mineral é o mais simples. Nos vegetais, que se alimentam principalmente de materiais inorgânicos, ele se apresenta de modo relativamente maiscomplexo, em virtude de ter sido trabalhado por eles a partir do material inicial. Já nos animais, que se alimentam de produtos minerais, vegetais e mesmo outros animais, o ectoplasma deveadquirir uma maior complexidade.
Assim, em função da espécie de vegetal ou animal, certamente haverá qualidades diferentes de ectoplasma. Essa dedução é fácil de ser feita, pois, ao que se sabe, o ectoplasma não-humano não é suficiente ou adequado para a realização de fenômenos físicos e de materialização, já que, se fosse, eles ocorreriam livremente pela manifestação de espíritos desencarnados. Haveria interferência direta destes no mundo dos encarnados, criando grande confusão. No livro Espírito, Perispírito e Alma, Hernani Guimarães Andrade propõe a existência dos seguintestipos de ectoplasma: ectomineroplasma, originário dos materiais minerais; ectofitoplasma, extraído dos vegetais; ectozooplasma, produzido pelos animais; ectohumanoplasma, gerado pelos humanos. Mas para efeito de simplificação de terminologia, no sentido de tornar o significado mais acessível às pessoas, podemos dizer apenas ectoplasma mineral, vegetal, animal e humano.
O ectoplasma é matéria?
Podemos definir matéria como tudo que é constituído pelos elementos químicos constantes da classificação periódica, além, é claro, dos próprios elementos e das partículas subatômicas. E também aquilo que possui massa e energia, estando sujeito à ação da gravidade, tem peso e ocupa um certo volume no espaço, além de interagir fisicamente com outras porções damatéria através das reações químicas. Já o ectoplasma está sujeito à ação da gravidade e interage fisicamente com a matéria do corpo humano. Nas fotografias, vemos ele sair da boca de um médium como se fosse um pano. O fato da substância cair na direção do solo e do espírito materializado a partir dela estar junto ao chão são evidências de que este fluido está sujeito à ação gravitacional. Alguns autores que já estudaram o ectoplasma em trabalhos de materialização e de efeitos físicos verificaram a ação da gravidade através de balanças. Portanto, podemos concluir que o ectoplasma é matéria. Podemos? Este raciocínio nos conduz a uma conclusão bastante interessante, ou seja, parece haver alguma coisa que se comporta como se fosse uma matéria paralela à que a química descreve. Em outras palavras, é como se houvesse um outro conjunto de elementos químicos coexistindo com aqueles previamente conhecidos ou previstos pela química, como se fosse possível estabelecer pelo menos uma outra classificação periódica.
Apresentação e produção.
O ectoplasma é um combinado de substâncias. Quando os espíritos desencarnados podem dispor dele em bastante quantidade, utilizam-no para a produção de fenômenos mediúnicos de efeitos físicos, combinando-o com outras substâncias extraídas do reservatório oculto da natureza.
Para a visão dos desencarnados, o ectoplasma se apresenta como uma massa de gelatina pegajosa, semilíquida e branquíssima que é exalada por todos os poros do médium, mas em maior proporção pelas narinas, pela boca, pelos ouvidos, pelas pontas dos dedos e até pelo tórax.
À feição do magnetismo, ele é energia disseminada e presente em toda a natureza, a qual, pela lei evolutiva, é mais apurada no homem do que no mineral, no vegetal ou no animal.
Deduzindo-se que os espíritos encarnados, em contato com a matéria durante a encarnação,produzem o ectoplasma, podemos chegar a algumas conclusões. Se admitimos a existência desta substância nos minerais, nas plantas ou nos animais, podemos entender que um dos ingredientes que forma o ectoplasma é originário dos alimentos, enquanto outro provém do oxigênio que respiramos. Ainda há um outro ingrediente, produzido no interior das células de nosso corpo físico. O que ocorre é uma transformação desses ectoplasmas primários em ectoplasma humano. Mas onde e quando ocorre o processo metabólico das reações químicas, físicas e biológicas entre os fluidos resultantes da alimentação, da respiração e da atividade celular que geram o ectoplasma? É difícil de se afirmar com certeza onde ele se forma no ser humano. A observação indica uma grande movimentação fluídica no abdome, na altura do umbigo, o que leva alguns pesquisadores a admitir que se forma ectoplasma no aparelho digestivo, através do metabolismo dos alimentos no corpo. Outro lugar em que é comum se perceber que existe uma grande quantidade dessa movimentação é no tórax, fazendo alguns estudiosos concluírem que a produção de ectoplasma ocorre através da respiração, pelo oxigênio.
Como a ciência acadêmica admite que esse fluido se forma no interior das células, muitos entendem que o ectoplasma se forma por todo o corpo no nível celular, embora em quantidades e qualidades diferentes. O sangue pode carregá-la até os pulmões, onde se libera para ser eliminado, da mesma forma que o carbono resultante do metabolismo.
Entretanto, para os espíritos, o ectoplasma é uma substância delicada que se produz entre operispírito e o corpo físico, interligando o plano físico com o espiritual. Isso nos permite deduzir que os fluidos resultantes da alimentação, da respiração e da atividade celular são captados por meio dos chacras gástrico e esplênico, transformando-se em ectoplasma no interior do duploetérico. Poderíamos chamar isso de "metabolismo do ectoplasma". Mas é bom lembrar: nas materializações ou nos fenômenos de efeitos físicos, não se usa diretamente o ectoplasma humano que exala do médium. É preciso combiná-la com outros dois tipos de fluidos (espirituais e da natureza) para obtermos o ectoplasma elaborado.
Fonte:http://www.ceismael.com.br/tema/ectoplasma.htm




Eurípedes Tahan, a materialização
de espíritos(VÍDEO)



ECTOSPLASMIA

http://www.guia.heu.nom.br/
materializacao.htm

ciência humana, porém, caminha na direção do porvir. (Ver: Ciência do porvir)
  • A nós, os Espíritos desencarnados, interessa, no plano_extrafísico, mais amplasublimação, para que façamos ajustamento de determinados princípios mentais, com respeito à execução de tarefas específicas.
  • E aos encarnados interessa a existência em plano moral mais alto para que definam, com exatidão e propriedade, a substância ectoplasmática, analisando-lhe os componentes e protegendo-lhe as manifestações, de modo a oferecerem às Inteligências Superiores mais seguros cabedais de trabalho, equacionando-se, com os homens e para os homens, a provainconteste da imortalidade.
[29 - página 126] - André Luiz - 1959 
____Vídeos em que Matthieu Tubino - Químico da Unicamp - trata do assunto de materialização de espíritos:
____O link a seguir mostra Matthieu ganhando um prêmio não relacionado ao tema, mas mostra que pesquisadores sérios estudam assuntos ligados a espiritualidade:
http://www.unicamp.br/unicamp/noticias/matthieu-tubino-do-instituto-de-química-ganha-prêmio-fritz-feigl

____
____O ectoplasma - esta força_nervosa - não é apenas propriedade de alguns privilegiados naTerra.
____Todos os homens a possuem com maior ou menor intensidade; entretanto, é preciso compreender que não nos encontramos, ainda, no tempo de generalizar as realizações. Este domínio exige santificação.(Ver: Psicoscopia )
____Neste campo de realizações sublimes, a que nos sentimos ligados, a ignorância, a vaidade e a má-fé permanecem incapacitadas por si próprias, traçando fronteiras de limitação para si mesmas.
[16a - página 112] - André Luiz - 1943
____ esclarecidas entidades espirituais, que preparam o ambiente, levando a efeito a ionizaçãoda atmosfera, combinando recursos para efeitos elétricos e magnéticos. Nos trabalhos deste teor reclamam-se processos acelerados de materialização e desmaterialização da energia. (Ver: Matéria)
____Estes amigos estão encarregados de operar a condensação_do_oxigênio. O ambiente para amaterialização_de_entidade_do_plano_invisível_aos_olhos_dos_homens requer elevado teor deozônio e, além disso, é indispensável semelhante operação, a fim de que todas as larvas e expressões microscópicas de atividade inferior sejam exterminadas. A relativa ozonização da paisagem interior é necessária como trabalho bactericida.
____ectoplasma, ou força_nervosa, que será abundantemente extraído do médium, não pode sofrer, sem prejuízos fatais, a intromissão de certos elementos microbianos.
[16a - página 102] - André Luiz- 1943
____ encarnados, de almas regularmente evoluídas, em apreciáveis condições_vibratórias pela sincera devoção ao bem, com esquecimento dos seus próprios desejos, podem projetarraios_mentais, em vias de sublimação, assimilando correntes superiores e enriquecendo os raios vitais de que são dínamos comuns.
____Chamemos-lhes raios ectoplásmicos, unindo apontamentos à nomenclatura dos espiritistas modernos. Esses raios são peculiares a todos os seres vivos. É com eles que a lagarta realiza suas complicadas demonstrações de metamorfose e é ainda na base deles que se efetuam todos os processos de materialização mediúnica, porquanto ossensitivos encarnados que os favorecem libertam essas energias com mais facilidade. Todas as criaturas, porém, guardam-nas consigo, emitindo-as em freqüência que varia em cada uma, de conformidade com as tarefas que o Plano da Vida lhes assinala.

____O estudo da mediunidade repousa nos alicerces da mente com o seu prodigioso campo de radiações. A ciência dos raios imprimirá, em breve, grande renovação aos setores culturais do mundo.
____Aguardemos o porvir.
[28a - página 21] - André Luiz - 1954
(Ver em: Psicoscopia ) 

O que é Ectoplasma? - Frederico Ganem (Conscienciologia)

http://www.youtube.com/watch?v=etxw7Qs1S80


____O professor Tinôco informa na página 62 de seu livro:
____"... Há outro fenômeno paranormal conhecido pôr Materialização. Neste caso, os chamadosmédiuns_de_efeitos_físicos liberam uma substância chamada pôr Charles_Richet de ectoplasma. Em meio a essa substância, que é uma massa de cor clara retirada do corpo do médium,...
  • surgem partes de corpos humanos como, pôr exemplo:
    • mãos,
    • rostos,
    • cabelos
  • e até mesmo corpos humanos parcialmente completos.
____Essas formas têm vida autônoma, funções vitais próprias e independência em relação ao médium e aos circunstantes. Algumas vezes, essas formas humanas, surgidas em meio à massa de ectoplasma liberado pelo médium, conversam, dizendo-se espíritos de pessoas mortas, transmitem informações, sentem emoções, etc. É o que se deduz das experiências de:
  • William Crookes,
  • Albert Von Scherenk Notzing
  • e muitos outros pesquisadores.
____Nestes fenômenos não ocorre propriamente uma materialização na acepção pura do termo. O que ocorre, de fato, é uma moldagem do ectoplasma. E tanto é assim que o peso da forma ectoplasmada, somado ao peso do médium doador do ectoplasma, é aproximadamente igual ao peso do médium fora do transe. Portanto, achamos conveniente o uso deectoplasmia, em substituição ao termo materialização."
____Quanto menos densos os elos de ligação entre os implementos físicos e espirituais, nos órgãos da visão, ...
[56 - página 130] - Uberaba-MG - 26/3/1958
(Ver em: Mediunidade espontânea ) 
citoplasma, que é, no fundo, o elemento intersticial de vinculação das forçasfisiopsicossomáticas, obriga as células ao trabalho de que necessita para expressar-se, trabalho este que, à custa de repetições quase infinitas, se torna perfeitamente automático para as unidades celulares que se renovam, de maneira incessante, na execução das tarefas que a vida lhes assinala.
André Luiz(Uberaba, 29 de Janeiro de 1958) [56 - página 45]
____
____Num processo de desdobramento, com o auxílio do supervisor espiritual, o médium foi convenientemente exteriorizado. A princípio, seu perispírito ou «corpo astral» estava revestido com os eflúvios vitais que asseguram o equilíbrio entre a alma e o corpo de carne, conhecidos aqueles, em seu conjunto, como sendo o « duplo_etérico», formado poremanações neuropsíquicas que pertencem ao campo_fisiológico e que, por isso mesmo, não conseguem maior afastamento da organização terrestre, destinando-se à desintegração, tanto quanto ocorre ao instrumento carnal, por ocasião da morte renovadora.
[28a - página 97] - André Luiz
____No processo de materialização, o veículo_físico, prostrado, sob o domínio dos técnicos do plano espiritual, expelia o ectoplasma, qual pasta flexível, à maneira de uma geléia viscosa e semiliquida, através de todos os poros e, com mais abundância, pelos orifícios naturais, particularmente da boca, das narinas e dos ouvidos, com elevada percentagem a exteriorizar-se igualmente do tórax e das extremidades dos dedos.
____Substância, caracterizada por um cheiro especialíssimo, que não conseguimos descrever, escorrendo em movimentos reptilianos, acumulando-se na parte inferior do organismo medianímico, apresentando o aspecto de grande massa protoplásmica, viva e tremulante.
____ectoplasma está em si tão associado ao pensamento do médium, quanto as forças do filho em formação se encontram ligadas à mente maternal. Em razão disso, toda a cautela é indispensável na assistência ao medianeiro.
____Essa força materializante é como as outras manipuladas nas tarefas de intercâmbio dos espíritos. Independe do caráter e das qualidades morais daqueles que a possuem, constituindo emanações do mundo psicofísico, das quais o citoplasma é uma das fontes de origem.
____À simples aproximação dos pensamentos inadequados que lhe senhoreavam as vibrações, toda a matéria ectoplásmica se ressentia, obscurecendo-se ao bombardeio dasformações_mentais nascidas da assistência.
[28a - página 261 ] - André Luiz
____Substância leitosa-prateada, da qual se destacam alguns fios escuros e cinzentos, provenientes da baixa vibração mental de alguna participantes da reunião mediúnica.
____Material leve e plástico de que as entidades espirituais necessitam para a materialização. Podemos dividi-lo em três elementos essenciais, em nossas rápidas noções de serviço, a saber:
  • fluidos A, representando as forças superiores e sutis da esfera espiritual,
  • fluidos B, definindo os recursos do médium e dos companheiros que o assistem,
  • e fluidos C, constituindo energias tomadas à Natureza terrestre.
[28a - página 265 ] - André Luiz
____Na materialização mediúnica, sob condições excepcionais e com o auxílio de Inteligências desencarnadas, o organismo do médium deixa escapar o ectoplasma ou o plasma exteriorizado, no qual as células, em tonalidade vibratória diferente, elastecem-se e se renovam, de conformidade com os moldes_mentais que lhes são apresentados, produzindo os mais significativos fenômenos em obediência ao comando da Inteligência, por intermédio dos quais a Esfera Espiritual sugere ao Plano Físico a imortalidade da alma, a caminho da Vida Superior.
____
André Luiz(Uberaba, 29 de Janeiro de 1958) [56 - página 46]
____Esse material, representa vigorosos recursos plásticos para que os benfeitores de nossa esfera se façam visíveis aos irmãos perturbados e aflitos ou para que materializem provisoriamente certas imagens ou quadros, indispensáveis ao reavivamento da emotividade e da confiança nas almas infelizes. Com os raios e energias, de variada expressão, emitidos pelo homem encarnado, podemos formar certos serviços de importância para todos aqueles que se encontrem presos ao padrão vibratório do homem comum, não obstante permanecerem distantes do corpo físico .
[16a - página 269] - André Luiz
____O condensador ectoplásmico, utilizado pelas entidades espirituais, tem a propriedade de concentrar em si os raios de força projetados pelos componentes da reunião, reproduzindo as imagens que fluem do pensamento da entidade comunicante (espírito), não só para a observação das entidades do plano espiritual, mas também para a análise do doutrinador encarnado, que as recebe em seu campo intuitivo, auxiliado pelas energias magnéticas doplano espiritual.
[28a - página 65] - André Luiz
fluido_vital, indispensável à produção de todos os fenômenos mediúnicos, é apanágioexclusivo do encarnado e que, por conseguinte, o Espírito operador fica obrigado a se impregnar dele. Só então pode, mediante certas propriedades, que desconheceis, do vosso meio ambiente, isolar, tornar invisíveis e fazer que se movam alguns objetos materiais e mesmo os encarnados.
____"Não me é permitido, por enquanto, desvendar-vos as leis particulares que governam os gases e os fluidos que vos cercam; mas, antes que alguns anos tenham decorrido, antes que uma existência de homem se tenha esgotado, a explicação destas leis e destes fenômenos vos será revelada e vereis surgir e produzir-se uma variedade_nova_de_médiuns, que agirão num estado cataléptico especial, desde que sejam mediunizados."
ERASTO
“Fluido ódico” de Reichembach, fluido vitalizador do sistema nervoso e a que a vidente de Prevorst chamava, com efeito, “ espírito dos nervos”.
[105 - páginas 129] - Ernesto Bozzano 
____As_experiências parecem indicar que as propriedades dessa “ substância” são as seguintes:
  • 1º é tênue e invisível
  • 2º tem particular relação com o médium, visto que outras pessoas que não se acham em contacto com ele não podem provocar a queda da mesa
  • 3º essa substância penetra no médium mais facilmente através sua mão nua
  • 4º existem corpos que a conduzem mais lentamente que outros e até mesmo que não a conduzem de todo
  • 5º o ar não é bom condutor
  • 6º das pessoas que fizeram a experiência, parece que somente eu a conduzi, assim mesmo muito lentamente
  • 7º ela é essencial aos fenômenos de levitação.

____As seguintes observações são unicamente indicativas e podem ser úteis a outros pesquisadores.
____Essa coisa misteriosa que parece estar sobre ou dentro da mesa, certamente não é eletricidade. Em primeiro lugar porque sua velocidade de descarga é muito pequena, e depois porque nunca se produziu coisa alguma durante as sessões que lembrasse os efeitos da eletricidade. Deve ser uma forma de energia ligada a pequenas partículas de matéria. Provavelmente, essas partículas acham-se acumuladas no interior e na superfície da mesa e sua energia é utilizada pelos operadores. Devem ter também alguma relação com o sistema nervoso do médium.
____As estruturas psíquicas em geral parecem sair da parte inferior das pernas do médium e as partículas de energia voltam a ele por suas próprias mãos. Talvez exista urna espécie depressão psíquica positiva em suas pernas e pés e uma espécie de pressão psíquica negativa em seus braços e mãos, de maneira que as partículas tendam a voltar para o seu corpo. Para me servir de uma analogia com a eletricidade, o potencial psíquico é mais elevado nas proximidades de seus tornozelos que de suas mãos.
____Todos os povos primitivos de grande espiritualidade e superstição possuíam a noção de uma força fluída invisível que preenche a natureza e anima os seres vivos, estando ligada diretamente à qualidade da saúde e entrando no corpo pela respiração. Em resumo, atribuíam ao ar a fonte da vida e da saúde. Cada cultura deu-lhe um nome:
  • Qi na China,
  • Ki no Japão,
  • Prana/ Shakti/ Kundalini na Índia,
  • Ti no Havaí,
  • Mana na Oceania,
  • Aither (éter) e Pneuma na Grécia, Aether (éter),
  • Aura e Spiritus (espírito) em Roma.
____Com o passar do tempo foram criados mais nomes:
  • Quintessência,
  • Vril,
  • Força Ódica,
  • Orgone,
  • Bioplasma,
  • Telesma,
  • Baraka,
  • Magnetismo Animal,
  • Força Vital,
  • Fogo Cósmico,
  • Fogo da Serpente,
  • O Dragão da Terra,
  • a Força.
____Praticamente todas as doutrinas de artes marciais, de esoterismo e de filosofia e metafísica baseadas no Taoismo apresentam esse conceito de energia espiritual, ou Ki.
http://www.kamisama.com.br/kiinfo.htm 
Importante!
(Ver: Futuro dos fenômenos físicos)

Em pesquisas da constituição do ectoplasma, por meio de análises químicas e histológicas, foi detectado: cloreto de sódio, fosfato de cálcio, células epiteliais e leucócitos, além de matéria gordurosa.
Outros pesquisadores dizem que o ectoplasma seria substância originária do protoplasma, das usinas celulares, onde o ATP (trifosfato de adenosina) teria expressiva participação, ao lado de outros elementos, não podendo deixar de considerar a importância do fósforo nas atividades bioquímicas orgânicas.
____(do gr. ektós, fora, exterior, + Plasma ), termo divulgado por Charles Richet (1850-1935).
  • Substância de natureza filamentosa ou fibrosa, que, quando visível, pode aparecer esbranquiçada (a mais freqüente), preta ou cinzenta, por vezes, aparecem as três cores simultaneamente, emana através de todos os poros do médium, especialmente da boca, das narinas, dos ouvidos, do tórax, e das extremidades (alto da cabeça, seios, pontas dos dedos), sendo reabsorvido ou dispersado ao final do processo.
  • Substância viva manipulada pelos espíritos.
  • Geralmente é inodora, embora, às vezes, possa desprender um odor particular difícil de ser descrito.
  • Por vezes, é frio e úmido; em outros, viscoso e semilíquido, mas raramente seco e duro (quando forma cordas é duro, fibroso, nodoso).
  • Dilata-se ou expande-se fácil e suavemente.
  • Ao tato pode-se senti-lo como uma teia de aranha.
  • Pode aparecer ou desaparecer rapidamente.
  • Uma corrente de ar pode agita-lo ou remove-lo.
  • Obediente à ação mental.
  • Por ser extremamente fotossensível, imprescinde da obscuridade.
  • A luz exerce grande poder de desagregação (efeito fotoelétrico).
  • Quando se toca o ectoplasma de uma pessoa, a uma distância do corpo ela sente o toque, com sensações diversas. Este toque pode causar ânsia de vômito, tosse e até sensações mais desagradáveis.
  • Penetra ou atravessa qualquer tipo de matéria.
  • Interage física ou quimicamente (nível atômico) com a matéria. Daí o seu emprego na produção de efeitos_físicos ou a sua aplicação em trabalhos de cura. E essa ação pode ocorrer a distância.

____Biólogos ao descobrirem na célula viva, uma formação em torno do protoplasma, que denominaram ectoplasma, verificaram “que não tinha a consistência material”, nele encontraram oxigênio, nitrogênio, carbono, potássio, além de vestígio de cloro e sódio, mostrava “característica estranha e desconhecida”.

Dr. Ricardo Di Bernardi
http://www.espirito.org.br/portal/artigos/bernardi/ectoplasma.html
Ectoplasma produzido por algum paranormal de efeitos físicos ou ectoplasta 
A substância foi chamada, também, ideoplasma, porque instantâneamente toma a forma que lhe dá o Espírito.
Bioenergias, ectoplasma e fenômenos parapsíquicos (parte II)
____Energia. A energia da consciência, quando condensada, manifesta-se na condição deectoplasma, parecendo agregar componentes orgânicos do corpo_biológico do sensitivoectoplasta. o ectoplasma citado aqui é diferente do ectoplasma estudado na biologia convencional (parte periférica do citoplasma - conteúdo da célula, excluído o núcleo).
____Composição. Apesar disso, o ectoplasma parece ser composto:
  • tanto pela bioenergia, própria do corpo energético do sensitivo,
  • como por algumas características de componentes que são encontrados nas células humanas,
  • além de incluir até a presença de tecido das roupas do sensitivo ou médium.
____Características. o ectoplasma apresenta formas instáveis, ora como tênues vapores, bastões, espirais, fios, cordas, teias, raios rígidos ou semi-rígidos, movendo-se sinuosamente como répteis, ora como se fosse um ser vivo, inteligente, vibrando, espichando ou encolhendo. Demonstra ainda tendência a ser absorvido abruptamente pelo corpo do médium.
Daniel Muniz

____O ectoplasma é a mais protéica das substâncias e pode manifestar-se de muitas maneiras e com propriedades variadas. Isso foi demonstrado pelo Doutor W. J. Crawford, Professor de Engenharia Mecânica na Queen’s University, de Belfast. Dirigiu uma importante série de experiências de 1914 a 1920, com a médium Kathleen Goligher. Fêz o seu relato em três livros, que são:
  • “lhe Reality of Psychic Phenomena” (1917),
  • “Experiments in Psychical Science”, em 1910
  • e “lhe Psychic Structures at Lhe Goligher Circle” em 1921. (15)
Do livro "HISTóRIA DO ESPIRITISMO" de ARTHUR CONAN DOYLE - Capítulo 18 
BIOLOGIA
  • Ectoplasma : é a porção mais externa do hialoplasma apresenta-se mais consistente. Também conhecido comoPlasmagel . A sustentação docitoplasma deve-se ao funcionamento do ectoplasma como verdadeiro suporte celular, mantendo mais ou menos constante a sua forma.
  • Endoplasma : é a porção mais fluida e mais interna dohialoplasma . Também conhecido comoPlasmassol .
http://www.coladaweb.com/biologia/celula2.htm
____ectoplasma está situado entre a matéria_densa e a matéria_perispirítica, assim como um produto de emanações da alma pelo filtro do corpo, e é recurso peculiar não somente ao homem, mas a todas as formas da Natureza. Em certas organizações fisiológicas especiais da raça humana, comparece em maiores proporções e em relativa madureza para a manifestação necessária aos efeitos_físicos que analisamos.
  • É um elemento amorfo, mas de grande potência e vitalidade.
  • Pode ser comparado a genuína massa_protoplásmica, sendo extremamente sensível, animado de princípios criativos que funcionam como condutores de eletricidade emagnetismo, mas que se subordinam, invariavelmente, ao pensamento e à vontade domédium que os exterioriza ou dos Espíritos desencarnados ou não que sintonizam com a mente mediúnica, senhoreando-lhe o modo de ser.
  • Infinitamente plástico, dá forma parcial ou total às entidades que se fazem visíveis aos olhos dos companheiros terrestres ou diante da objetiva fotográfica, dá consistência aos fios, bastonetes e outros tipos de formações, visíveis ou invisíveis nos fenômenos delevitação, e substancializa as imagens criadas pela imaginação do médium ou dos companheiros que o assistem mentalmente afinados com ele (Teleplastia - Ideoplastia).
____Exigenos, pois, muito cuidado para não sofrer o domínio de inteligências sombrias, de vez que ma nejado por entidades ainda cativas de paixões deprimentes poderia gerar clamorosas perturbações.
[28a - página 271 ] - André Luiz - 1954

____ectoplasma é substância amorfa, vaporosa, com tendência a solidificação pela evolução do fenômeno, tomando forma por influencia de um campo-organizador especifico. Facilmente fotografado; de cor branco acinzentado; vai desde a névoa transparente à forma tangível; de aspecto semelhante aos tecidos vivos oferecendo sensação de viscosidade e frieza.
____ectoplasma foi analisado por vários pesquisadores dos quais destacamos as seguintes conclusões:
  • Dr.V.Dombrowsky (Varsóvia) - " o ectoplasma está constituído de matéria albuminóide, acompanhado de gordura e de células tipicamente orgânicas. Não foram encontrados amiláceos e açúcares".
  • Dr. Francês (Munich) - " Substância constituída de inúmeras células epiteliais, leucócitos e glóbulos de gordura".
  • Dr. Albert Scherenk-Notzing citado por Charles Richet - "o ectoplasma está constituído por restos de tecido epitelial e gorduras".
  • Dr. Hernani G. Andrade - " o ectoplasma é Substância formada com recursos da natureza originando-se ...
    • dos tecidos vegetais (ectofiloplasma)
    • e de origem animal (ectozooplasma)
    • e de origem mineral (ectomineroplasma)".
____Muitos autores que analisaram a substância encontram células anucleadas em sua constituição. o ectoplasma seria substância originária no protoplasma das usinas celulares, onde o ATP (trifosfato de adenosina) teria expressiva participação, ao lado de outros elementos. Dessa forma, não podemos deixar de considerar a importância do fósforo nas atividades bioquímicas orgânicas e, consequentemente, no desenvolvimento do processo ectoplásmico em suas especificas dosagens.
____No dizer do professor Aldemar Brasil:
____"Em síntese, o ATP, que equivale por cada ligação piro-fosfática desgarrada de sua molécula, a mais ou menos 7.500 kcal, é a unidade usada em biologia para expressar a transferência de energia oriunda do ciclo de Krebs, e de outras fontes. No ciclo de Krebs, também denominado de ciclo dos ácidos tri-carboxílicos, a energia é libertada pela transferência de elétrons para a cadeia respiratória, provindos de substratos em que o hidrogênio é ativado, desgarrado e transportado com seu elétron até o oxigênio, também ativado ao receber esses elétrons, formando-se, então, a água. Para tanto, no ciclo de Krebs há processos de descarbolização, desidrogenação, etc., operados por enzimas especificas ativadas por coenzimas determinadas".

O Ectoplasma
____Ectoplasma (do grego ektos, exterior, e plasma, molde; isto é, "modelado fora do corpo") é o nome dado à matéria quase toda etérica, senão inteiramente, que se desprende ou exsuda domédium e se emprega na manifestação de fenômenos espiritistas.
____O falecido doutor em Ciências naturais, W._J._Crawford, descreve em seus livros — The Reality of Psychic Prenomena (1916), Experiments in Psychical Science (1918), e Psychic Structures (1921) — as minuciosas e magistrais pesquisas por ele empreendidas sobrefenômenos_de_levitação e pancadas_de_mesa. Os desejosos de maiores detalhes poderão encontrá-los nesses livros; aqui podemos dar apenas um breve resumo de tais estudos, no que se relacionam com o nosso tema.
____Durante todas as experiências, a médium esteve plenamente consciente.
____O Dr. Crawford encarou os problemas de levitação de mesa, etc.,como_simples_problemas_de_mecânica, e valendo-se de dispositivos registradores de energia, tanto mecânicos como elétricos, conseguiu descobrir, por dedução de suas observações, o modus operandi das "estruturas psíquicas" empregadas. Numa etapa bem posterior, ele pôde comprovar suas deduções por visão direta e fotografias, como se exporá a seu devido tempo.
____Em suma, verificou-se que o ectoplasma exsudado da médium era preparado e modelado em "hastes" (como ele as denomina) pelos " operadores" que controlam a produção dos fenômenos. Estas hastes ou barras ficam ligadas numa extremidade à médium, e na outra, por sucção, às pernas da mesa ou a outros objetos. Ao aplicar-se a energia psíquica através das hastes, as mesas ou outros objetos se moviam em vários sentidos, sem que tivessem nenhum contato puramente físico com qualquer das pessoas presentes. Se as hastes batiam no soalho, mesa, campainhas, etc., produziam pancadas ou muitos outros ruídos.
____A maior parte do ectoplasma se obtém comumente da médium, embora seja suplementado por uma pequena porção extraída de todos ou da maioria dos presentes à sessão.
____Conquanto completamente invisível à vista comum, o ectoplasma pode, às vezes, ser perceptível ao tato. É descrito como viscoso, reptílico, frio, quase oleoso, como se a atmosfera estivesse impregnada de partículas de matéria morta e desagradável.
____O diâmetro das extremidades das hastes psíquicas projetadas da médium pode variar entre 12 milímetros e 22 centímetros. A sua extremidade livre parece capaz de assumir várias formas e graus de rijeza: planas ou convexas, circulares ou convexas; e macias como carne tenra ou rijas como ferro. O tronco da haste é tangível à beira de algumas polegadas da extremidade livre, mas daí para a outra extremidade se torna intangível, embora resista, puxe, empurre, tosquie e vergue.
____No entanto, na parte intangível se sente um fluxo de partículas frias, semelhantes a esporões, emanadas da médium. Parece haver razão para crer que, em alguns casos, embora não em levitações, há uma completa circulação de matéria etérica saindo da médium e retornando a ela por outra parte do seu corpo. A pedido, pode-se variar a condição da extremidade da haste quanto ao seu tamanho e rijeza. As hastes compridas são geralmente macias na extremidade, e as curtas, mais densas e duras.
____Crawford acha provável que as hastes consistam de feixes de fios delicados, intimamente unidos e aderidos entre si. A energia psíquica segue os fios e dá ao conjunto a rigidez de uma viga, que pode então ser deslocada à vontade pelas energias postas em ação no corpo da médium.
____Certas experiências fazem pensar que a extremidade de uma haste consiste numa película espessa, ou mais ou menos elástica, esticada sobre uma armação delgada, um pouco denteada e elástica. A elasticidade desta película é limitada; submetida a um esforço excessivo, ela pode romper-se; a moldura denteada fica então exposta.
____O fato de um electroscópio poder ser descarregado se for tocado por uma haste, prova que esta desempenha o papel de condutor de corrente elétrica de alta tensão, que se descarrega no solo pelo corpo do médium ao qual se encontre ligada.
____Por outro lado, uma haste colocada através das terminais de um circuito de campainhas, não as faz soar, mostrando assim que ela opõe grande resistência a uma corrente de baixa tensão.
____A luz branca destrói comumente as formações de hastes: mesmo os raios luminosos refletidos de uma superfície onde se aplique força_psíquica, interferem nos fenômenos. A luz vermelha, no entanto, se não for demasiado forte, parece não prejudicar a estrutura psíquica; nem tampouco a danifica a luz emanada de pintura luminosa que se haja exposto ao sol durante algumas horas.
____As estruturas são, em geral, inteiramente invisíveis, embora às vezes seja possível entrevê-las. Já se tem conseguido fotografá-las à luz de magnésio, mas é preciso tomar precauções com a médium, a fim de poupá-la. A luz de magnésio, ao atingir o ectoplasma, provoca na médium um choque muito mais violento quando a estrutura está em ação, do que no caso oposto.
____As numerosas fotografias obtidas confirmam, em todos os detalhes, as conclusões tiradas dos próprios fenômenos.
____A rigidez de uma haste varia conforme a iluminação. A extremidade dura funde-se parcialmente, por assim dizer, quando a haste é exposta à luz.
____deslocamento_de_objetos pela força psíquica, obtém-se de duas maneiras principais:
  • Na primeira, uma ou diversas hastes saem do médium, o mais das vezes pelos pés ou pelos tornozelos, e outras, pela região inferior do tronco, e são aplicadas diretamente ao objeto que deve ser deslocado, formando modilhão. Se as mesas se deslocam horizontalmente, as hastes em geral se fixam aos seus pés; se são levantadas, a haste ou hastes se alargam em suas extremidades, como cogumelos, e fixam-se à superfície inferior da mesa.
  • No segundo método, a haste ou hastes projetadas do médium aderem ao solo, e do ponto da aderência continuam até o objeto a ser movido. Não formavam mais um modilhão, mas algo semelhante a uma alavanca de primeira categoria", cujo Fulcro está entre a Resistência e a Potência.
____As hastes podem ser retas ou curvas; podem ainda ficar suspensas no ar, rígidas, mostrando assim que para conservar a rigidez elas não têm necessidade de se apoiar sobre corpos materiais.
____No caso em que é posto em ação o método do modilhão (1.° método), todo esforço mecânico é transferido ao médium, ou mais exatamente, a maior parte deste esforço; parte bem menor cabe aos assistentes.
____É possível verificar-se isto por aparelhos mecânicos ordinários, tais como as balanças de molas e outras. Se u'a mesa, por exemplo, for levantada inteiramente por meio do modilhão, produzirá aumento do peso do médium de cerca de 95 por cento do peso da mesma e o dos assistentes aumentará proporcionalmente.
____Se, por outro lado, as hastes são aderidas ao solo, o peso da mesa levantada se transmite diretamente ao solo, e o peso do médium, em lugar de aumentar, diminui. Esta diminuição é devida ao peso do ectoplasma formador da haste, uma de cujas extremidades se apóia no solo.
____Quando a força transmitida por uma haste é para manter um objeto, como u'a mesa, solidamente fixo ao solo, a diminuição do peso do médium, após as observações, tem atingido até 18 quilos.
____Noutra ocasião, em que a estrutura ectoplasma não foi utilizada, o peso do médium diminui de 27 quilos, ou seja, quase a metade de seu peso normal.
____Os modilhões são geralmente empregados para mover ou levantar objetos leves, porém, quando estes são pesados, ou quando se trata de transmitir uma força considerável, as hastes são fixadas ao solo, produzindo o dispositivo em alavanca. A força empregada atinge muitas vezes a 50 quilos.
____Durante a levitação_de_objetos, a tensão suportada pelo médium manifesta-se freqüentemente pela rigidez, até à rigidez férrea, dos músculos, principalmente dos braços ou mesmo de todo o sistema muscular. Estudos ulteriores revelaram a Crawford que a rigidez muscular havia desaparecido inteiramente.
____A produção desses fenômenos parece dar como conseqüência perda permanente de peso, tanto do médium como dos espectadores, porém que não ultrapassa algumas onças (onça = 28, 35 grs. ) Os assistentes podem perder mais peso do que o médium.
____Em geral, quando se coloca um objeto material qualquer dentro do espaço ocupado pela haste, a comunicação entre esta e o médium é imediatamente interrompida e a haste se desintegra. Entretanto, um objeto delgado como um lápis pode passar impunemente através da parte vertical da haste, porém não através da parte que se encontra entre o médium e a mesa. A interferência nesta última parte pode lesar fisicamente o médium.
____Para que uma haste possa tocar ou aderir ao solo ou a uma mesa, sua extremidade deve ser preparada de modo particular para que fique mais densa do que o resto da haste. Isto parece difícil, ou pelo menos exige tempo e força; por conseguinte, os pontos a agarrar devem ser sempre reduzidos ao mínimo.
____O sistema de agarrar é por sucção, como se pode facilmente demonstrar pela argila mole, de que falaremos adiante. As vezes, escutam-se "aspiradores" escorregando pela superfície da madeira ou agarrando novos pontos.
____Crawford apresenta numerosos exemplos (e também fotografias) de impressões produzidas pelo contato das hastes sobre massa e argila mole. Estas impressões, muitas vezes, assinalam marcas parecidas com o tecido das meias do médium. No entanto, a semelhança é superficial, pois não se pode produzir tais impressões apoiando sobre a argila um pé revestido de meia. A impressão feita pela haste é muito mais nítida do que a que se poderia conseguir pelos meios ordinários; parece-se com a que se obteria, se uma matéria fina e viscosa, estendida sobre o tecido da meia e depois de seca, tivesse sido em seguida comprimida contra a argila. Ademais, pode-se modificar muito a marca de fabricação da meia, e o delicado modelo e o traçado dos fios podem ser deformados, engrossados, parcialmente recobertos ou rompidos, conquanto permaneçam ainda reconhecíveis como os mesmos da marca do tecido. Pode-se deduzir que o ectoplasma primeiramente apresenta-se em estado semilíquido, que passa através e ao redor dos intervalos do tecido e coagula-se na parte externa da meia. É de natureza glutinosa e fibrosa, e a forma que toma é quase exatamente a do tecido. Depois se estira da meia e se envolve na extremidade da haste. Para produzir uma impressão extensa, a película é engrossada e reforçada por nova adição de substância materializante. Assim a impressão original pode ser torcida, deformada ou apagada parcialmente.
____A haste pode também reproduzir a impressão dos dedos, embora seu tamanho possa não corresponder à dos dedos normais, e seus contornos podem ser muito mais nítidos ou mais regulares do que os obtidos pelas impressões digitais ordinárias.
____Golpes, indo dos mais leves até os executados com a força de um martelo, outros ruídos ainda, podem ser produzidos por hastes semi-flexíveis, com extremidades adequadamente preparadas, com as quais se batem nos objetos materiais.
____A produção dos golpes é acompanhada de diminuição de peso do médium; esta diminuição, que pode ser de dez ou mais quilos, parece ser diretamente proporcional à intensidade do golpe. A razão é evidente; as hastes são formadas da matéria tirada do corpo do médium, o choque desta matéria contra o solo, etc., transfere necessariamente a este, através da haste, uma parte do peso total do médium. A perda de peso é temporária, mas restabelece-se quando a matéria das hastes volta ao médium.
____A produção de golpes determina no médium uma reação mecânica, como se ele fosse empurrado para trás ou golpeado. A reação pode-se traduzir por movimentos involuntários dos pés. Entretanto, o efeito sentido pelo médium não se parece em nada com o que lhe é causado pela levitação de objetos.
____Os golpes violentos produzidos por uma haste de grande tamanho não são, em geral, dados rapidamente. Ao contrário, os golpes leves, produzidos em geral por uma ou várias hastes finas, podem ser produzidos com incrível rapidez; os " operadores" parecem perfeitamente senhores das hastes.
____Em geral a produção destes fenômenos impõe certa tensão a todos os assistentes, como o demonstram as sacudidas espasmódicas, algumas vezes muito fortes, que todas as pessoas do círculo fazem sucessivamente, antes da levitação.
____A separação e a retirada de matéria etérica dos corpos dos assistentes parecem operar-se por sacudidas, e até certo ponto todos são afetados.
____Segundo W._J._Crawford, uma entidade que disse ter sido médico quando em vida, falando pelo médium (em estado de transe para este efeito), declarou que na produção dos fenômenos, eram empregadas duas espécies de substâncias:
  • uma era tirada em quantidade bastante grande, do médium e dos assistentes, e era-lhes restituída, quase integralmente, no fim da sessão.
  • A outra só podia ser tirada do médium e, como se compõe da substância mais vital das células nervosas, não podia ser extraída senão em quantidade mínima, sem o que o médium teria que sofrer más conseqüências; sua estrutura é destruída no fenômeno; ela não pode, pois, ser restituída ao médium. Esta afirmação não foi nem verificada nem confirmada, de maneira alguma; damo-la pelo que vale.
____
____W. J. Crawford imaginou e empregou com grande sucesso o "método dos corantes" para traçar os movimentos do ectoplasma. Possuindo este a faculdade de aderir fortemente à uma substância como o carmim pulverizado, põe-se este corante em seu caminho, o que dá em resultado uma pista corada.
____Descobriu-se, assim, que o ectoplasma saía da parte inferior do tronco do médium e tornava a entrar pela mesma região. Sua consistência era bastante grande, pois tem força para rasgar meias e outras roupas; algumas vezes, ele arranca fios inteiros da meia, de várias polegadas de comprimento (polegada = 25, 30 mm), leva-os e deposita-os num recipiente de argila colocado a certa distância dos pés do médium.
____O ectoplasma desce ao longo das pernas e penetra nos sapatos; passa entre a meia e a sola, onde houver espaço suficiente. Se, pelo caminho, apoderou-se do pó corado, ele o deposita em todos os pontos em que o pé, a meia e o calçado estão em estreito contato, isto é, onde não encontra lugar para passar.
____A solidificação e a desmaterialização da extremidade resistente de uma haste efetuam-se logo que a haste sai do corpo do médium. É este o motivo por que a extremidade livre da haste, a não ser que seja muito fina, não pode atravessar um tecido serrado e até uma grade metálica de malha de uma polegada, se esta está colocada a mais de uma ou duas polegadas adiante do médium. Entretanto, se esses anteparos se encontrarem muito perto do corpo, pode-se dar uma materialização imperfeita da extremidade da haste, e produzir fenômenos psíquicos limitados.
____A saída do ectoplasma é acompanhada de fortes movimentos musculares em todo o corpo. As partes carnudas do corpo, sobretudo as que estão situadas abaixo da cintura, diminuem de volume, como se a carne se encolhesse.
____W. J. Crawford está convencido de que na produção dos fenômenos espíritas, duas substâncias, pelo menos, são empregadas:
  • 1. ° — um elemento que forma a base da estrutura psíquica; é invisível, impalpável, e, falando de modo geral, ultrapassa a ordem física
  • 2. ° — uma substância brancacenta, translúcida e nebulosa, misturada à primeira, a fim de que esta possa agir sobre a matéria física.
____A segunda, pensa Crawford, é muito provavelmente idêntica à substância empregada nosfenômenos de materialização.
____Numerosos fenômenos de materialização encontram-se descritos com extrema e escrupulosa minúcia, característica das pesquisas germânicas, na importante obra intitulada: fenômenos de Materialização do barão von Schrenck Notzing (1913), e traduzida para o inglês por E. E. Fournier d'Albe D. Sc. (1920).
____Além das descrições detalhadas de sessões e de numerosos fenômenos, encontram-se aqui cerca de duzentas fotografias de formas materializadas ou de aparições as mais diversas, desde fios ou massas de ectoplasma, até rostos inteiramente formados. Vamos resumir as principais conclusões. Para facilitar nossa tarefa, tomamos longos trechos de uma conferência sobre a fisiologia supranormal e os fenômenos_ideoplásticos, pelo Dr. Gustavo Geley, psicólogo e médico francês, reproduzida no fim da obra do barão Notzing.
____Do corpo do médium emana uma substância, a princípio amorfa ou polimorfa. Ela pode apresentar o aspecto de uma pasta dúctil, de verdadeira massa protoplásmica, espécie de geléia tremulante, de simples blocos, de fios delgados, de cordas, de raios estreitos e rígidos, de faixa larga, de membrana, de tecido, de rede dobrada e franjada.
____A natureza filamentosa ou fibrosa dessa substância foi muitas vezes observada. Apresenta-se branca, negra, ou cinzenta; às vezes aparecem as três cores juntas: a branca é a talvez mais freqüente. Parece luminosa. Em geral parece ser inodora; no entanto desprende, às vezes, odor particular e impossível de ser descrito.
____Parece não haver dúvida de que ela está sujeita à gravidade.
____Ao tacto, ela pode mostrar-se úmida ou fria, viscosa ou glutinosa, mais raramente seca e dura.
____Quando se dilata, é suave e um pouco elástica; quando forma cordas, é dura, nodosa e fibrosa. Pode-se senti-la passar sobre a mão corno uma teia de aranha; os fios são ao mesmo tempo rígidos e elásticos. É móvel, com um movimento rastejante como o de réptil, embora se mova às vezes brusca e rapidamente. Uma corrente de ar pode pô-la em movimento. Se for tocada, produz reação dolorosa no médium. É de sensibilidade extrema; aparece e desaparece com a rapidez do relâmpago. É particularmente sensível à luz, embora, no entanto, às vezes os fenômenos resistam à luz do dia. Pode-se fotografá-la à luz do magnésio, embora o súbito clarão produza um choque repentino no médium.
____Durante a produção do fenômeno, a cabina em que se encontra o médium fica geralmente na obscuridade, porém as cortinas são muitas vezes abertas.
____Fora da cabina, emprega-se a luz vermelha, e algumas vezes mesmo a luz branca, até a intensidade de cem velas.
____A substância tem irresistível tendência à reorganização. Assume numerosas formas, às vezes mal definidas e não organizadas, porém o mais das vezes organizadas, formando dedos, inclusive as unhas, perfeitamente modelados; mãos, rostos e outras formas, todas completas. A substância emana de todo o corpo do médium, mas especialmente dos orifícios naturais e das extremidades, do alto da cabeça, dos seios, da ponta dos dedos. O ponto de partida mais habitual e mais fácil de se verificar é a boca, a superfície interna das bochechas, as gengivas e o céu da boca.
____As formas materializadas têm certa independência; a mão, por exemplo, é capaz de mover os dedos e de segurar a mão do observador, embora a pele humana pareça às vezes repelir os fantasmas. Às estruturas são, às vezes, menores do que as naturais, isto é, verdadeiras miniaturas. Observou-se que a traseira das materializações carecia de forma orgânica, não passando de uma massa de substância amorfa. As formas não contêm mais que o mínimo de substância suficiente para fazê-las aparecer como reais, e podem desaparecer tanto instantaneamente como aos poucos, por um desvanecimento gradativo. Vê-se claramente que durante todo o tempo as formas estão fisiológica e psiquicamente ligadas ao médium; a sensação 'reflexa das estruturas se confunde com a do médium. Assim, um alfinete cravado na substância causaria dor no médium.
____A substância parece influenciável tanto pela direção geral da sessão como pelo tema dominante nos pensamentos dos assistentes. Além disso, o médium, geralmente em estado hipnótico, é extraordinariamente sensível à influência da sugestão.
____Fragmentos de formas materializadas foram recolhidos num prato de porcelana, e guardados. Em certos casos descobriram-se fragmentos de pele, cuja origem humana foi reconhecida ao exame microscópico.
____Noutra ocasião, encontraram-se três ou quatro centímetros cúbicos de um líquido transparente, que não continha bolha alguma. A análise revelou um líquido incolor, ligeiramente turvo, não viscoso, inodoro, levemente alcalino, deixando um precipitado brancacento. O microscópio demonstrou a existência de detritos celulares e saliva; a substância provinha evidentemente da boca.
____Em outra ocasião, encontrou-se uma madeixa de cabelos louros, não se parecendo em nada com os cabelos negros do médium; a mão do observador estava coberta de muco e de umidade. Além disto, encontram-se, algumas vezes, outras substâncias, tais como pós cosméticos, ou fragmentos provenientes das roupas do médium.
Do livro "O Duplo_Etérico ", do Major Arthur E. Powell 
LINKs:
Ver também:

MATERIALIZAÇÃO
O termo mais correto seria Ectoplasmia.
____Não me é permitido, por enquanto, desvendar-vos as leis particulares que governam os gases e os fluidos que vos cercam; mas, antes que alguns anos tenham decorrido, antes que uma existência de homem se tenha esgotado, a explicação destas leis e destes fenômenos vos será revelada e vereis surgir e produzir-se uma variedade nova de médiuns, que agirão num estado cataléptico especial, desde que sejam mediunizados.
Espírto Erasto, discípilo de São Paulo
____Embora sejam muitas as tentativas de materialização de forças do plano_espiritual, na Terra, com raras exceções quase todas se desenvolvem sobre lastimáveis alicerces que primam por infelizes atitudes dos nossos irmãos encarnados. Só os doentes, por enquanto, no mundo, justificam a nosso ver o esforço dessa espécie, junto das raras experiências, essencialmente respeitáveis e dignas, realizadas pelo mundo científico, em benefício da Humanidade ...
____...Alguns encarnados, como habitualmente acontece, não tomam a sério as responsabilidades do assunto e trazem consigo, para as seções de materialização, emanações tóxicas, oriundas do abuso de nicotina,carne e aperitivos, além das formas-pensamentos menos adequadas à tarefa que o grupo deve realizar.
[28a - página 260 ] - André Luiz 
____Trata-se de serviço de elevada responsabilidade, porquanto, além de exigir todas as possibilidades doaparelho_mediúnico, há que movimentar todos os elementos de colaboração dos companheiros encarnados, presentes às reuniões destinadas a esses fins. Se houvesse perfeita compreensão geral, respeito aos dons da vida, e se pudéssemos contar com valores morais espontâneos e legitimamente consolidados no espírito coletivo, essas manifestações seriam as mais naturais possíveis, sem qualquer prejuízo para o médium e assistentes. Acontece, porém, que são muito raros os companheiros encarnados dispostos às condições espirituais que semelhantes trabalhos exigem. Por isso mesmo, na incerteza de colaboração eficiente, as sessões de materialização efetuam-se com grandes riscos para a organização mediúnica e requisitam número dilatado de cooperadores do plano espiritual.
[16a - página 99 ] - André Luiz 
Intervenção do mundo dos mortos
O Lar Frei Luiz, no Rio de Janeiro, já curou pessoas como Milton Nascimento e Elba Ramalho

____Os homens, contudo, em sentido geral, não sabem, por enquanto, compreender a essência divina de tais demonstrações e, quase sempre, acorrem a elas com o raciocínio acima do sentimento. Pelas inquietudes da investigação, perdem, muitas vezes, os valores da cooperação, e os resultados são negativos. No dia, porém, em que conseguirem trazer o coração iluminado, receberão alegrias iguais àquela que desceu sobre os discípulos de Jesus, quando, de portas cerradas, em sublime comunhão de amor e , receberam a visita doMestre, perfeitamente materializado, depois da ressurreição, em casa humilde de Jerusalém, de conformidade com a narrativa dos Evangelhos.
[16a - página 102 ] - André Luiz 
____Nos fenômenos de materialização os fatores morais constituem elemento decisivo de organização.
  • Não estamos diante de mecanismos de menor esforço
  • e, sim, ante manifestações sagradas da vida, em que não se pode prescindir dos elementos superiores e da sintonia vibratória.
[16a - página 107 ] - André Luiz 
Fenômenos de Materialização


____ Materialização do espírito Ana, em 14/12/1953, onde pode se observar o médium Peixotinho em transe, deitado sobre a cama. Este médium realizou experiências na casa de Francisco Cândido Xavier permitindo, inclusive, através de sua faculdade, a materialização de amigos conhecidos do Chico.
____Consciência espírita:www.consciesp.org.br


____ Outra materialização realizada através do médium Peixotinho. Neste tipo de fenômeno, as entidades espirituais, para se fazerem visíveis e tangíveis, utilizam uma propriedade do médium de efeitos físicos, denominadaectoplasma. A forma como se dão estes fenômenos encontram-se explicadas cientificamente nas obas de Allan Kardec, o codificador do Espiritismo

Espírito Ana materializado na noite de 16/9/1953 na residência de Francisco Cândido Xavier, em Pedro Leopoldo MG. Vemos o médium Peixotinho (Francisco Peixoto Lins). A foto foi obtida por Henrique Ferraz Filho. Na ata da reunião assim se expressou Chico Xavier: "O serviço fotográfico foi orientado pelo Espírito Irmã Scheilla, igualmente materializada na mesma reunião. O retrato obtido constitui motivo de grande júbilo para os nossos corações que receberam, com essa dádiva, grande acréscimo de responsabilidade, tão grande é a bênção do mundo espiritual que esta fotografia traduz."http://www.paginaespirita.com.br/katie_king_e_a_luz.htm

____Francisco Lins Peixoto, o Peixotinho, espírita humilde e convicto em seus princípios, realizava impressionantes materializações luminosas. Foi cuidadosamente pesquisado por um delegado de polícia, o dr. A. Ranieri, que escreveu um livro a seu respeito, Materializações Luminosas, sendo também reconhecido internacionalmente por suas faculdades.Na primeira sessão que estava presente, o médiumPeixotinho possibilitou, por intermédio de suas faculdades, a materialização da falecida filha de Ranieri, Helena, que presenteou o pai com uma flor ainda molhada de orvalho.
____Consciência espírita:www.consciesp.org.br

A magnífica materialização de EMMANUEL (Materialização através deChico Xavier). Ilustração feita pelo artistaJoaquim Alves (Jô ), da Federação Espírita do Estado de São Paulo-FEESP, que presenciou o fenômenoContudo, em sua última materialização disse aos presentes:"— Amigos, a materialização é fenômeno que pode deslumbrar alguns companheiros e até beneficiá-los com a cura física. Todavia, o livro (Os livros, a maior prioridade) é a chuva que fertiliza lavouras imensas, alcançando milhões de almas. Rogo aos amigos a suspensão, a partir desse momento, dessas reuniões"."E a partir daquele dia, Chico —a disciplina em pessoa— nunca mais as realizou, servindo-se de sua faculdade mediúnica de efeitos físicos. O livro, no entanto, como chuva abençoada, continua fertilizando a lavoura do coração humano, trazendo paz, reconforto e esclarecimento a milhões de criaturas" ...

Materialização de Meimei Ilustrada por Joaquim Alves - Federação Espírita do Estado de São Paulo
____Uma noite sentimos um delicioso perfume. Intimamente, achei que era o mesmo que Meimei costumava usar. Surpreendi-me quando subitamente percebi que o corredor ia se iluminando aos poucos, como se alguém caminhasse por ele portando uma lanterna. Subitamente a luminosidade extinguiu-se. Momentos depois a sala iluminou-se novamente. No centro dela havia como que uma estátua luminescente. Um véu cobria-lhe o rosto. Ergueu ambos os braços, e elegantemente, etereamente, o retirou, passando as mãos pela cabeça, fazendo cair uma linda cascata de cabelos pretos até a cintura. Era Meimei. Olhou-me, cumprimentou-me e dirigiu-se até onde eu estava sentado. Sua roupagem era de um tecido leve e transparente. Estava linda e donairosa. Levantei-me para abraça-la e senti bater o seu coração espiritual. Beijamo-nos fraternalmente e ela acariciou meu rosto e brincou com minhas orelhas, como não podia deixar de ser. Ao elogiar sua beleza, a fragrância que emanava, a elegância dos trajes e sua tênue feminilidade, disse-me:
____“Ora, Meu Meimei, aqui também nos preocupamos com nossa apresentação pessoal. A ajuda aos nossos semelhantes, o trabalho fraterno faze-nos mais belos, e afinal de contas, eu sou sua mulher. Preparei-me para você, seu moço. Não iria gostar de uma Meimei feia!"
Texto de Arnaldo Rocha (viuvo de Meimei),Trecho do livro "Chico Xavier - Mandato de Amor"União Espírita Mineira Belo Horizonte, 1992
http://br.geocities.com/humildescomjesus/meimei.htm
Fotografia que mostra o médium Antônio Alves Feitosa, fornecedor do ectoplasma, com o espírito materializado atrás (Irmã Josepha). Do lado direito está Francisco Cândido Xavieir. Esta fotografia foi feita por Nedyr Mendes da Rocha no ano de 1965, em Uberaba, MG, usando uma máquina fotográfica marca Roleiflex e filme Kodacolor de 100 ASA. Como os trabalhos de materialização são feitos no escuro, esta foto foi feita com o auxílio de flash. É interessante notar como oectoplasma que sai da boca do médium, como se fossem panos, ‘cai’ na direção do chão, mostrando estar sujeito àação da gravidade. No trabalho de materialização em que esta fotografia foi feita, também participou a médiumOtília Diogo. Ela se encontrava sentada dentro da cabine.
Matthieu Tubino
Um "Fluido Vital" Chamado Ectoplasma.
publicações Lachâtre
Dr. J. M. Gully's comments on recording Katie King's pulse
http://www.survivalafterdeath.org.uk/photographs/crookes/3.htm
Foto da materialização do espírito de Katie_King , fenômeno comprovado por Sir William Crookes
____O codificador do EspiritismoAllan_Kardec, auxiliado pelos Espíritos Superiores que o assessoraram, traz esclarecimentos fundamentais sobre a questão da fenomenologia mediúnica.
____Esses esclarecimentos são abordados com profundidade em suas obras, notadamente,O_Livro_dos_Médiuns, de onde assinalamos os seguintes apontamentos sobre os fenômenos dematerialização: "O Espírito que quer ou pode aparece revestido, algumas vezes, de uma forma ainda mais nítida, tendo todas as aparências de um corpo sólido, ao ponto de produzir uma ilusão completa e fazer crer que se está diante de um ser corporal. Em alguns casos, enfim, e sob o império de certas circunstâncias, a tangibilidade pode tornar-se real, quer dizer, pode-se tocar, apalpar, sentir a mesma resistência, o mesmo calor como da parte de um corpo vivo, o que não impede de se desvanecer com a rapidez do relâmpago".
____"Então não é mais pelos olhos que se constata a presença, mas pelo toque. Se se podia atribuir à ilusão, ou a uma espécie de fascinação, a aparição simplesmente visual, não é mais permitida a dúvida quando se pode agarrá-la, palpar, quando ela mesma nos agarra e aperta. Os fatos de aparições tangíveis são os mais raros; mas aqueles que ocorreram nestes últimos tempos, pela influência de alguns médiuns poderosos, e que têm toda a autenticidade de testemunhos irrecusáveis, provam e explicam os que a história relaciona a respeito de pessoas que se mostraram, depois da morte, com todas a aparências da realidade".
____"Além disso, como dissemos, por extraordinários que sejam semelhantes fenômenos, todo o maravilhoso desaparece quando se conhece a maneira pela qual se produzem e se compreende que, longe de serem uma derrogação das leis_da_Natureza, são delas apenas uma nova ampliação".
____Durante três anos consecutivos o espírito Katie_King se manifestou em sessões de materialização dirigidas por Sir_William_Crookes. Essas experiências resultaram numa das mais investigadas entre numerosas outras sessões semelhantes, que figuram nos anais das pesquisas psíquicas. ____
Na foto abaixo, vê-se o espírito materializado Katie King, junto ao cientista Sir William Crookes. No verso desta foto o sábio escreveu sensibilizado pela beleza do espírito materializado - Arquivo "O Clarim"
Segundo Gabriel Delanne, William Crookes foi, na Europa, o primeiro cientista que teve o valor de comprovar, escrupulosamente, as afirmações dos espíritas. Muito cético, a princípio, suas investigações o conduziram progressivamente à convicção de que esses fenômenos são verdadeiros e não titubeou um único momento em proclamar, alto e bom som, a certeza em que resultou o seu trabalho. A partir daquele momento, ninguém foi mais capaz de deter o impulso recebido. Russel Walace, Lodge, Myers, Hodgson seguem pela senda aberta.
  • Na Alemanha, cientistas eminentes como Zölner, Weber, Ulrici, o dr. Frièze, Carl Du Prel rendem-se à verdade que passam a defender.
  • Na Rússia, Aksakof e Bouterow.
  • Na Itália, o professor Falconer, Chialia, Broffério, Finzi, Schiaparelli e o próprio Lombroso são levados a confessar a exatidão dos fenômenos que antes punham em dúvida.
  • Na França, Gibier, Richet, De Rochas, Flamarion comprovam a mediunidade de Eusápia Paladino.
Consciência espírita:www.consciesp.org.br

____Sir_William_Crookes conta ter escutado, por diversas vezes, as pulsações do coração de Katie_King, circunstância de fato muito importante, graças à qual é licito inferir que, se o coração batia, éque o sangue devia circular nas artérias desse corpo bem materializado, que constituía, portanto, um organismo vivo e perfeitamente conformado...
____...Sobre a existência indubitável de uma “força organizadora” nos fenômenos de materialização, devo lembrar que, relatando as experiências do Prof._Richet, na Argélia, e referindo-se ao fantasma materializado de Bien Boa, foi ele mesmo um dos que observaram: “Respirava como se vivo fosse e de tal modo que o Prof. Richet conseguiu o precipitado branco de carbonato, fazendo que ele respirasse dentro de um copo em que se encontrava água de barita.”
____Ora, se o fantasma respirava é porque era dotado do sistema respiratório e circulatório e, por conseguinte, ainda nesse caso, tratava-se de um fantasma organizado e não plastificado.
[105 - página 144] - Ernesto Bozzano
Processo de liberação ectoplasmática e materialização parcial do espírito de Dona Maria Gonçalves Duarte, que em vida fora esposa do conferencista espírita português, Isidoro Duarte Santos.
Do livro: Vida e Obra de peixotinho por HUMBERTO VASCONCELOS.
(Fraternidade Espírita Francisco Peixoto Lins 1994)
No ectoplasma expelido pelo médium fotografou-se o rosto do espírito de Arthur Conan Doyle que em vida foi um estudioso do Espiritismo. Conan Doyle foi o criador do detetive Sherlock Holmes, personagem que atua em seus romances policiais. (Nota do compilador)
http://www.paginaespirita.com.br/materializacao.htm

http://www.photographymuseum.com/doylefalg.html
Personagens envolvidos numa seção de materialização, conforme texto abaixo:
Alexandre.Espírito orientador de André Luiz, no plano espiritual.
André Luiz.Espírito que ditou o texto abaixo, por intermédio do médium Chico Xavier.
Calimério...Entidade espiritual superior à condição hierárquica de Alexandre.
Alencar......Espírito que se materializou na seção mediúnica.
____... Alexandre aproximou-se de mim e considerou:
____— Repare na grandeza do acontecimento. A médium desempenha o papel de entidade maternal, enquanto Alencar, sob a influência positiva de Calimério, permanece em temporária filiação ao organismo mediúnico. Todas as formas que se materializaram serão “filhas provisórias” da força plástica daintermediária. O amigo que conversa com os encarnados é Alencar, mas os seus envoltórios do momento são nascidos das energias passivas da médium e das energias ativas de Calimério, o mais elevado diretor desta reunião.
  • Se forçarmos a médium em nosso plano, feriremos Alencar em processo de materialização
  • se os companheiros terrenos violentarem o mensageiro, repentinamente corporificado, esfacelarão a médium, acarretando conseqüências funestas e imprevisíveis.
____... Meu coração transbordava de contentamento e esperança; todavia, era forçoso confessar que, para tamanhas manifestações de serviço e tão sublimes bênçãos, era muito reduzido o entendimento dos encarnados. Semelhavam-se a crianças afoitas, mais interessadas no espetáculo inédito que desejosas de consagração ao serviço divino. Francamente, estava desapontado. Tantos emissários celestes a se esforçarem por meia dúzia de pessoas que pareciam distantes do propósito de servir à causa da Verdade e do Bem?!
____Expus minha opinião ao devotado instrutor, mas Alexandre respondeu, tranqüilo:
____— E Jesus? Considera você que ele tenha trabalhado somente para os galileus que o não compreendiam? Julga que tenha ensinado tão-só no templo de Jerusalém? Não, meu amigo: convença-se de que todos os nossos atos, no bem ou no mal, estão sendo praticados para a Humanidade inteira. Por agora, os nossos companheiros terrestres não nos entendem, nem cresceram devidamente para a completa consagração a Jesus, mas a semeadura é viva e produzirá a seu tempo. Nada se perde.
____— É verdade que você, no mundo, foi médico sempre interessado em ver o resultado de seu trabalho, mas não se esqueça do esforço silencioso dos semeadores do campo e recorde que as sementes depositadas nos sarcófagos egípcios, há alguns milhares de anos, estão começando a produzir maravilhosamente no solo da Terra.
[16a - página 111 ] - André Luiz
Palestra Dr. Paulo Cesar Fructuoso - Ectoplasmia e Materialização de espíritosShttp://www.youtube.com/watch?v=eC-C40FWoN4
____ O fenômeno de ectoplasmia pode dividir-se em três tipos:
  • a - A psicoplastia, quando o ectoplasma assume formas diversas devido à ação psicocinética exclusiva do médium.
  • b - A duplicação ectoplasmática, em que o perispírito do médium serve de organizador do ectoplasma, produzindo uma réplica do médium.
  • c - A produção de agênere ectoplasmático, na qual o médium funciona apenas como doador de ectoplasma. Sua modelagem opera-se à custa do perispírito de um segundo agente. É possível ainda que o Espírito de uma pessoa encarnada se sirva do ectoplasma de um doador e se manifeste em forma deagênere ectoplasmático. (L. Palhano Jr - Dicionário de Filosofia Espírita).
http://www.paginaespirita.com.br/ectoplasmia.htm
____Os fenômenos de materialização são produzidos de forma muito intrínseca:
  • Primeiramente, o médium principal serve de aparelho para que a equipe espiritual manipule as energias essenciais ao fenômeno.
  • Posteriormente, o que observamos, em nossos trabalhos, é que a Entidade a se materializar, retira do médium ou dele faz expandir um campo que o reveste. Dessa maneira, vê-se a formação inicial do fulcro do fenômeno sobre o médium.
  • A seguir:
    • as energias (de origem ectoplásmica segundo informam) que enchem o ambiente precipitam-se sobre aquele fulcro, fazendo com que ele se ilumine, fenômeno semelhante ao de fogos de artifício que se queimam e dão origem a um modelo que é visto pelos assistentes. Esta é a aparição que Crookes intitulou de luminosa.
    • A estereológic a (nunca tive ocasião de ter uma completa) transforma a energia em forma palpável e que reveste o perispírito da Entidade manifestante, tornando-a tangível, auscultável e se forma de maneira idêntica, só que, em vez de provocar luminosidade no campo do Espírito dito materializado, dá-lhe consistência material.
    • Um outro tipo de materialização que pude verificar e da qual Crookes não faz referência é aquela em que o Espírito nos tange, nos toca, faz-se sentir como se estivesse materializado, mas, os presentes (encarnados) não conseguem segurar esse corpo. Nossa sessão comprovou a existência de uma cigana que se materializava e que bailava ao som das músicas que eram tocadas pela nossa vitrola. Sua saia roçava nos presentes, batia nos móveis, ouvíamos e sentíamos tudo como se ali estivesse a bailarina dançando e esbarrando nas pessoas, só que ninguém conseguia segurar esta saia rodada e encorpada.

Carlos de Brito Imbassahy
http://www.ajornada.hpg.ig.com.br/colunistas/imbassahy/imb-0003.htm
____ Vários tipos de fenômenos são atribuídos à condensação, maior ou menor, da energia da consciência. Entre eles, são citados, pelo menos, estes 4 tipos:

  • Materializações: a materialização momentânea de mãos, dedos, cabeças e corpos humanos completos, visíveis ou cobertos por tecidos, mas verificados através do tato.
  • Desmaterializações e rematerializações: objetos, "retirados" de ambientes externos ao ambiente do experimento, que surgem na sala onde está o(a) sensitivo e demais experimentadores;
  • Telecinesia : Efeitos físicos de movimento repentino ou previamente solicitado de objetos, incluindo aqui os giros de mesas, flutuação de cadeiras e até do(a) próprio(a) médium;
  • Extrafísico-físico: Fenômenos que acontecem diretamente da dimensão extrafísica, mas com percepção na dimensão física, como batidas de palmas de mãos invisíveis; toque de mãos invisíveis nas mãos e no corpo de participantes de sessões de ectoplasmia; toque de notas em instrumentos musicais postos à distância dos experimentadores presentes; batidas nos móveis e paredes (raps).
____Todas estas ocorrências sugerem sempre a presença de consciências extrafísicas, controlando as atividades antes mesmo do(a) médium ou dos pesquisadores presentes. Isso porque, em muitos casos, os fenômenos ocorrem sem aviso e à distância. Nesse caso, a manipulação da energia densa é feita pelas consciências que já passaram pela morte biológica.

____ Sensitivos e alguns de seus pesquisadores dos fenômenos de materialização.
SensitivosEspíritosPesquisadores
Florence Cook
Marie e Katie_King
Marthe Beraud
(Eva Carriere)
Bien-Boa e Frígia
Richet
Schrenck-Notzing
Madame Bisson
General Noël
William Eglinton
Joey Sandy,
____Ernest Abdulah,
Aparições coletivas
Yolanda
Nèpenthès
Aksakof
Von Bergen
Sr. Fidler
Carmine Mirabelli
Guiseppe Parini
Petrucelli
John
Diversos outros
Bozzano
____Círculo de Viena
Franck Kluski
Diversos espíritos
Pawloski
Geley
Richet
Pesq. Poloneses
Srta. Wood
Diversos espíritos
D’Arsonval
Mme. Hull
Luzzia Hatoh
Sr. Hatoh
Esthel Post
Diversos espíritos
Dr. Ted Edwin
Frank Decker
Diversos espíritos
Dr. Ted Edwin
Sra. Hollis
Diversos espíritos
Dr. N. B. Wolfe
Linda Gazzera
Diversos espíritos
Schrenck-Notzing
Richet
Fontenay
Imoda
D.D. Home
Dannie
Diversos espíritos
Crookes
Lord Adare
Gouzyk
Diversos espíritos
Geley
Helen Duncan
Diversos espíritos
S. A. Wood
Sra. Salmon
Lucie
Mandy
Paul Gibier
Sra. Hardy
Diversos espíritos
Prof. Denton
Slade
Diversos espíritos
Stanislawa
Tomczyk
P. Lebiedezinsky
____Ochorowicz
Schrenck-Nortzing
Sra. Compton
K.
Aksakof
____Coronel Alcott
Sra. Margery
Crandon
Walter
Glen Hamilton
Srta. Ada B. Toledo
Diversos espíritos
H. Carrington
Sra. Lily Hope
Sunrise
Diversos espíritos
E. H. Sache
Elizabeth M. Mercedes
Diversos espíritos
Glen Hamilton
Maria Volhart
Diversos espíritos
Dr. F. Schwab
Irmãs Bangs
Manifestações parciais
Sr. Austin Burnham
Phinuit
Lodge
Hyslop
Carmen Dominguez
Leonora
Marata
Família Goligher
Diversos espíritos
W. J. Crawford
Ana Prado
Rachel Figner
João
Anita
Comissão Científica de Belém, Pará
Peixotinho
Diversos espíritos
Ranieri
Maria M.
Walter
Arthur Conan Doyle
Raymond Lodge
Lucy
Glen Hamilton
Sra. Firman
Bertie
____Outros espíritos
Sr. Oxley
Sr. Reimers
Sr. Monck
Bertie, Lily
Milke, Richard
Aparições coletivas
Sr. Oxley
Sr. Reimers
Sta. Fairlamb
Diversos espíritos
Ofélia Corrales
Mary Brown
(Fonte: Livro “Conversando Sobre a Morte; ou Epistemologia da Morte”, álvaro Chrispino, Rio de Janeiro, Edições CELD, 1994, 1ª edição).
http://www.comunidade-espiritual.com/profile.php?sub_section=view_blog&id=2640&sub_id=5794
álvaro Chrispino


Inscrição no verso:"4 jun 1872/Mrs. Olive (?) e Mr. Herne, mídias. Senhora Helena Newenham e o espírito da sua filha."
Frederick A. Hudson (England) Hudson (Inglaterra)
Hudson tinha um estúdio em 177 Holloway Road, Londres. Ele é creditado com a produção da primeira fotografia de espírito feita na Grã-Bretanha em 4 de março de 1872, apenas três meses antes de esta imagem foi feita.

Bibliography Bibliografia: Cyril Permutt, para além do espectro, um levantamento de supernormal Fotografia(Cambridge: Patrick Stevens, Ltd., 1983).p. 89. p. 89
http://www.photographymuseum.com/ladyhl.html
____Frederick A.Hudson
O primeiro britânico expoente da fotografia de Espíritos.
____Após o relatório de propagação de imagens de Espíritos, a acusação de impostura logo surgiu, mas, de acordo comAlfred Russel Wallace, mesmo aqueles que eram mais enfático sobre fraude acreditavam que um grande número de imagens verdadeiras foram tiradas. Wallace obteve dois retratos de sua mãe, que representam dois períodos diferentes, e ao contrário de qualquer foto tirada durante a sua vida.
http://www.answers.com/topic/frederick-a-hudson

____Aquilo a que chamais “ materialização de fantasmas” não vos é favorável.
  • Esse fenômeno parece assaz análogo ao que contam do Cristo, quando, depois da sua crucificação, se apresentou em uma sala, cujas portas estavam fechadas, e mostrou a ferida do seu peito ao discípulo que duvidara;
  • do mesmo modo que hoje os Espíritos materializados exibem as deformidades que assinalavam seus corpos terrenos, tudo com o fim de provar sua identidade.
[97 - página 132] - Epes Sargent (1813 - 1880)



Links:

Ver também:

Postagens mais visitadas deste blog

APRENDA COMO FAZER CONTATO COM SEU ANJO E GUIAS ESPIRITUAIS - TEXTOS DE VÁRIOS AUTORES

PARA ONDE VAMOS QUANDO MORREMOS,SEGUNDO A DOUTRINA ESPÍRITA ?

O GATO NA MITOLOGIA SAGRADA EGÍPCIA