SAMBA BRILHOU EM BOSTON NA EXPOSIÇÃO "SAMBA SPIRIT-MODERN AFRO BRASILIAN ART",NO MUSEUM OF FINE ARTS

Exposição Samba Boston (Foto: Divulgação)

Samba brilhou em Boston

Tradições populares marcam exposição

19/09/2014 | POR PAUL CLEMENCE, DE NOVA YORK; FOTOS PAUL CLEMENCE


Há muito a arte contemporânea brasileira entrou na moda no circuito internacional e o Brasil passou a figurar entre os países que possui muitos talentos. Nomes como Ernesto Neto, Vik Muniz e Cildo Meirelles, por exemplo, têm facilmente suas obras expostas em vários museus mundo afora. Porém, a mostra “Samba Spirit - Modern Afro Brazilian Art”, no Museum of Fine Arts, em Boston, Estados Unidos, está chamando a atenção por apresentar ao público trabalhos de vários artistas brasileiros que normalmente não recebem tanta atenção na esfera internacional.

Embora seja uma mostra pequena, ocupando uma das galerias mais íntimas do gigantesco museu com apenas 15 quadros, uma gravura e duas esculturas, ela traz um interessante e importante lado da cultura brasileira que merece projeção. Entre os artistas, estão Heitor dos Prazeres, Maria Auxiliadora da Silva, Waldomiro de Deus e Agnaldo Manoel dos Santos. Com seus estilos próprios e cheios de simbolismos, eles têm em comum a inspiração em tradições populares, seja de origem religiosa, musical ou da vida urbana.
Exposição Samba Boston (Foto: Divulgação)
O acervo reunido na exposição tenta exibir a inegável influência do histórico escravista na cultura brasileira. Das associações musicais poéticas do samba ao frevo, normalmente associadas à cultura afro-brasileira, as obras refletem a expressão visual dessa herança, o que resultou em trabalhos de grande ritmo de cores, linhas, e com um espírito singular. "Muitos aspectos da cultura afro-brasileira são vividamente traduzidos por esses artistas na sua escolha de tema e de estilo” diz Karen Quinn, curadora da mostra e responsável pela área de pinturas no Departamento de Arte nas Américas do museu."Pode-se ver tanto o lado da celebração, como também o lado sombrio, e até mesmo imagens que permanecem envoltas em cunho enigmático", completa.
Heitor dos Prazeres sintetiza bem essa ideia: ao mesmo tempo em que se dedicava a compor sambas, na década de 1930, investia na pintura. Seus quadros são simples, com figuras desenhadas de forma bastante básica, mas, ainda assim, é clara a malemolência e a informalidade que o pintor e poeta queria expressar. Na exposição, dois de seus quadros representam essa conexão músico/pictórico: “Roda de Samba” (1957) e “Frevo da Casa Verde”(1958).
Exposição Samba Boston (Foto: Divulgação)
Outro destaque é Maria Auxiliadora da Silva, uma bordadeira que se tornou uma artista autodidata. Em quadros como “Plantação” (1971), a mineira aplica pigmentos de cor numa elaborada composição, rica em texturas e tons que remetem à técnica de bordados. Em “Chuva sobre São Paulo”(1971), a pintora expressa de forma inequívoca o contraste da grande metrópole com suas variadas escalas urbanas: uma cena provinciana de uma praça, que remete a uma cidade de interior, com o skyline do grande centro urbano como pano de fundo, banhados pela famosa garoa paulistana. Maria Auxiliadora, que faleceu em 1974, depois de uma vida com problemas de saúde, trabalhando em empregos humildes e sem muito sucesso artístico, teve postumamente suas obras reconhecidas e expostas em várias galerias da Europa, onde, talvez, o caráter exótico de suas criações tenha sido o fator que a conectou com um público maior.
Apresentações como esta do Museum of Fine Arts, nas quais se destaca o trabalho de artistas pioneiros que trilharam os próprios caminhos em ambientes nem sempre favoráveis, demonstram outro lado do acervo cultural brasileiro, e abrem possibilidades para artistas contemporâneos que trabalham às margens dos modismos culturais e fora do circuito estabelecido das artes plásticas.
A exposição, que ficou aberta até o dia 18 de outubro de 2014, reúniu trabalhos doados para o museu pelo colecionador John Axelrod, um dos principais apoiadores do espaço –  em 2011, por exemplo, ele cedeu 67 obras de artistas de descendência africana, tanto do Brasil como da América do Norte.
Samba Spirit - Modern Afro Brazilian Art
Data: até 19 de outubro
Local: Galeria Bernard e Barbara Stern Shapiro, no Museum of Fine Arts
Endereço: Av. das Artes, 465, Boston, Massachusetts
Horário: de segunda e terça, das 10h às 16h45; quarta, quinta e sexta, das 10h às 21h45; sábados e domingos, das 10h às 16h45

Exposição Samba Boston (Foto: Divulgação)
 
Exposição Samba Boston (Foto: Paul Clemence)
 
Exposição Samba Boston (Foto: Paul Clemence)
 
Exposição Samba Boston (Foto: Paul Clemence)
 
Exposição Samba Boston (Foto: Paul Clemence)
 
Exposição Samba Boston (Foto: Paul Clemence)
 
Exposição Samba Boston (Foto: Paul Clemence)
 
Exposição Samba Boston (Foto: Paul Clemence)
 
Exposição Samba Boston (Foto: Paul Clemence)
 
Exposição Samba Boston (Foto: Paul Clemence)
 
Exposição Samba Boston (Foto: Paul Clemence)
 
Exposição Samba Boston (Foto: Paul Clemence)
 
Exposição Samba Boston (Foto: Paul Clemence)
 
Exposição Samba Boston (Foto: Paul Clemence)

Exposição Samba Boston (Foto: Divulgação)

Fonte:http://casavogue.globo.com/MostrasExpos/Arte/noticia/2014/09/samba-brilha-em-boston.html